Guia do Investidor
DESEMPREGO
Notícias

1T24: Brasil registra maior alta de desemprego em 10 anos

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Segundo dados do IBGE, taxa de desemprego no Brasil recuou para 7,5% no trimestre encerrado em abril.

Em divulgação feita nesta quarta-feira (29), o IBGE anunciou que taxa de desemprego no Brasil recuou para 7,5% no trimestre que foi encerrado em abril. Essa foi a maior alta registrada desde 2014, quando foi marcado 7,2%.

O IBGE informou que o número de desempregados atingiu 8,2 milhões entre fevereiro e abril. No 1T24, os desocupados chegaram a somar 8,6 milhões e em comparação trimestral não houve variação significativa, mas teve redução de 9,7% ante o mesmo trimestre móvel de 2023.

Houve também estabilidade na população ocupada, estimada em 100,8 milhões de pessoas. No ano, o aumento foi de 2,8%, com mais 2,8 milhões de pessoas ocupadas.

“É interessante notar que a entrada de abril já interrompeu um movimento de expansão da taxa de desocupação que foi visto no primeiro trimestre por questões sazonais. O retorno de segmentos da educação e a reversão das perdas de vagas no comércio trazem o indicador para a estabilidade”, diz Adriana Beringuy, coordenadora de Pesquisas Domiciliares do IBGE.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a taxa de desemprego no Brasil continuará em queda neste ano e em 2025. A estimativa é de que a taxa de desemprego diminua no Brasil para 7,8% neste ano e para 7,6% em 2025.

Leia mais  Selic é mantida em 13,75%, mas expectativa de queda do juro básico abre oportunidade para investir em renda fixa prefixada

Pesquisa IBGE

  • Taxa de desocupação: 7,5%
  • População desocupada: 8,2 milhões de pessoas
  • População ocupada: 100,8 milhões
  • População fora da força de trabalho: 66,8 milhões
  • População desalentada: 3,5 milhões
  • Empregados com carteira assinada: 38,188 milhões
  • Empregados sem carteira assinada: 13,6 milhões
  • Trabalhadores por conta própria: 25,5 milhões
  • Trabalhadores domésticos: 5,9 milhões
  • Trabalhadores informais: 39 milhões
  • Taxa de informalidade: 38,7%

Datafolha aponta piora na economia, desemprego e inflação

41% dos brasileiros acreditam que a economia piorou nos últimos meses, contra 28% que viram melhora.

No estudo anterior, referente ao mês de Dezembro, o pessimismo dos brasileiros estava em 35% e o otimismo, em 33%, o que configurava um empate técnico.

Essa é a primeira vez que o pessimismo supera o otimismo. 

O Datafolha também perguntou sobre as perspectivas para o futuro e a expectativa de melhora dos brasileiros para os próximos meses caiu de 47% para 39% desde o mês de Dezembro, ainda acima da expectativa de piora, que saiu de 22% para 27%.

Para os brasileiros, os aspectos específicos da economia, em especial inflação e desemprego, não teve melhora alguma e eles seguem pessimistas. Exatos 60% esperam piora na inflação e quanto ao desemprego, a previsão de alta foi de 39% para 46%.

Leia mais  Conselho da Embraer ratifica acordo com norte-americana Boeing

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Gestores estão decepcionados com Brasil

Márcia Alves

Nuback nega ligação com Brasil Paralelo

Márcia Alves

Franquias de alimentação crescem 26,6% no 1º trimestre

Fernando Américo

Mais de 60% dos MEI’s não têm o hábito de emitir nota fiscal

Fernando Américo

Exploração da Margem Equatorial pode duplicar reservas

Fernando Américo

Metade dos brasileiros teme ser substituído pela IA no trabalho

Fernando Américo

Deixe seu comentário