Guia do Investidor
vibra energia vbbr3 pagara r 1485 milhoes de jcp em dezembro
Notícias

A transição enérgetica da Vibra está a todo vapor e nova aquisição reforça estratégia

  • A Vibra (VBBR3) acaba de anunciar a de 50% da ZEG Biogás, que produz alternativas ao gás natural e outros combustíveis fósseis, por R$ 159,5 milhões;
  • O acordo prevê um aporte adicional de R$ 412 milhões.

A Vibra segue rompendo seus laços com o Petróleo e apostando em energias alternativas após sua “separação” da Petrobras e o abandono da marca BR Distribuidora.

A companhia vem adotando uma forte agenda para se tornar cada vez menos influenciada pela commodity e gerir mais fontes de energias renováveis, e parece não poupar recursos para tal.

Afinal, a empresa está avançando mais um passo nesse percurso ao adicionar um novo componente a essa estratégia.

Desse modo, o grupo acaba de anunciar que fechou um acordo para a compra de 50% do capital social da ZEG Biogás, companhia que desenvolve alternativas ao uso do gás natural convencional e de outros combustíveis fósseis, como óleo diesel e GLP.

Pelos termos do acordo, a Vibra fará um aporte primário de R$ 30 milhões no fechamento da operação, além de uma parcela secundária de R$ 129,5 milhões. O grupo também negociou opções de compras futuras, a valor de , que envolvem alternativas para assumir 70% ou 100% das ações.

Leia mais  Alupar (ALUP11) conclui a montagem dos aerogeradores do parque eólico São João

A transação envolve ainda o compromisso da Vibra de investir R$ 412 milhões na ZEG nos próximos anos para a execução de novos projetos de biogás/biometano, dos quais, R$ 206 milhões seriam referentes à fatia de 50% na operação. Os R$ 206 milhões restantes seriam aportados em nome dos demais sócios.

Os processos da Vibra

Ademais, em fato relevante, a Vibra ressaltou que esses aportes adicionais estão condicionados à efetiva implantação dos projetos de expansão e à observância de condições mínimas de atratividade estabelecidas em contrato para cada projeto.

Portanto, o negócio divulgado hoje dá sequência à parceria fechada entre as duas empresas em agosto do ano passado, que previa a implantação de projetos de produção de biometano a partir da vinhaça, um resíduo da produção de etanol em usinas de cana de açúcar.

A ZEG produz alternativas aos combustíveis fósseis a partir da captação e do tratamento de biogás de aterros sanitários ou por meio da biodigestão de diferentes tipos de resíduos agroindustriais, entre eles, a já citada vinhaça da cana de açúcar.

Leia mais  Caminhoneiros começam a receber benefício emergencial nesta terça

Além disso, no fato relevante, a Vibra destacou que a companhia tem potencial de atingir uma produção de mais de 2 milhões de metros cúbicos por dia em até 5 anos. A exemplo da associação com a ZEG, que agora inclui laços societários, os movimentos recentes da Vibra passam, por exemplo, pela joint venture com a Copersucar, para a comercialização de etanol e pela aquisição de 50% da Comerc, para a comercialização de energia elétrica.

Por fim, a busca por novos horizontes do grupo também envolveu uma joint venture com a Americanas, em lojas de conveniência, e por parcerias com a Easy Volt, startup de redes de recarga elétrica, e com a BBF, para a produção de diesel verde e de combustível sustentável para a aviação.

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das eleições no : abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Conab estima safra de grãos em 271,4 milhões de toneladas em 2021/22

Agência Brasil

Pesquisa indica queda de 2% no abate de frangos no país

Agência Brasil

Petrobras (PETR4) reduz preços de venda de diesel para as distribuidoras

Agência Brasil

IBGE estima safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022

Agência Brasil

Queda nas safras leva à retração da Região Sul no primeiro trimestre

Agência Brasil

Plano ABC+ entra em vigor em setembro e vai reduzir emissão de carbono

Agência Brasil

Deixe seu comentário