Guia do Investidor
fachada loja quero quero1
Notícias

Ações Quero Quero vale a pena? Ações Quero Quero hoje

Você sabe se Ações Quero Quero vale a pena? Ações Quero Quero hoje é uma boa opção para investir? As Lojas Quero Quero (LJQQ3) é um dos principais nomes do mercado de ações brasileiro, tendo uma grande parcela de representação especialmente no setor de varejo. Desse modo, fica claro a relevância e a importância destas ações na bolsa de valores.

Pensando nisso, nós do Guia do Investidor elaboramos para você um guia completo. Assim, iremos abordar do zero tudo o que você precisa entender sobre Ações Quero Quero vale a pena? Ações Quero Quero hoje! Confira agora mais detalhes!

Primeiramente, quando se trata do mundo dos investimentos (e de dinheiro em geral), existe uma regra de ouro: você precisa saber para onde está indo seu dinheiro.

A dica pode parecer bastante óbvia, afinal, você não sai fazendo transferências para qualquer um no meio da rua, não é mesmo? Assim como no cotidiano, a Bolsa de Valores se trata de relações. Por isso, conhecer as empresas por trás dos códigos de seu home broker será um importante diferencial na sua trajetória como investidor.

Além disso, entender as relações do mercado e dos investimentos vai te poupar muita dor de cabeça na hora de verificar a rentabilidade da sua carteira de investimentos. Afinal, entender a finalidade das transações que você participa é o básico para não sair lesado, não é mesmo?

Desse modo, antes de entrar mais a fundo no tópico Ações Quero Quero vale a pena? Ações Quero Quero hoje, é preciso entender um pouco mais da Quero Quero. Portanto, confira mais detalhes agora!

O que é a Quero Quero?

Assim, a Lojas Quero-Quero nasceu no dia 15 de agosto de 1967, na cidade de Santo Cristo, no interior do estado do Rio Grande do Sul, como uma pequena empresa de comércio e representações. Na época, o capital era formado apenas pela coragem, pela crença no trabalho duro e por um espírito muito forte de empreendedorismo.

Leia mais  Veja 14 Small Caps para comprar em Novembro

Desse modo, o modelo de negócios da empresa ficou bastante conhecido no mercado por oferecer uma solução integrada aos consumidores caracterizada pelo portfólio de produtos de materiais de construção, eletrodomésticos e móveis. O mix de produtos age de forma a contemplar grande parte das necessidades dos clientes no segmento casa e construção. Além do segmento varejista, a Lojas Quero-Quero administra os cartões de crédito VerdeCard e, para completar o mix de produtos ofertados, conta com uma diversificada carteira de serviços financeiros, que incrementam e trazem a solução completa dentro do varejo para seus clientes.

image 4
Lojas Quero Quero

Nos últimos anos, o foco da Quero Quero está no aperfeiçoamento das operações de loja, estratégias comerciais, gestão de pessoas, controle de resultados pautado em fluxo de caixa, desenvolvimento de lideranças e no investimento em tecnologia, o que, no entendimento da empresa, permitiu criar um modelo único de negócios bem-sucedido em pequenas e médias cidades de quaisquer regiões do Brasil.

Em plena expansão pelo país, a companhia conta atualmente com lojas distribuídas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Cataria e Paraná, além de dois centros de distribuição.

As vantagens de se tornar um investidor

Se você está aqui no Guia do Investidor, provavelmente já está ponderando a sua entrada no mercado de ações. Investimento em ações por muito tempo foi um assunto restrito nos clubes de golf e tênis, no entanto, com as novas regras de mercado estabelecidas pela B3, o mundo dos investimentos se tornou menos complicado e mais acessível para grande parte da população.

A explosão da Bolsa não é sem motivos. Afinal, os investimentos de renda variável podem representar hoje uma das maneiras menos complicadas de se conseguir a tão sonhada estabilidade financeira. Além disso, a rentabilidade dos investimentos de renda variável fogem da curva dos rendimentos fixos da renda fixa, e trazem ainda mais brilho para as especulações do mercado de ações.

Ações Quero Quero hoje

Assim, a Quero Quero foi trilhando seu caminho no mercado, acumulando expansão, popularidade e bom desempenho operacional. Você como um investidor da bolsa de valores (ou especulante a investidor) consegue perceber muito bem a receita para um processo de IPO não é mesmo?

Desse modo, a empresa estreia na B3, a bolsa de valores do Brasil de forma “recente” com um processo de IPO em 2020. O Initial Public Offering das Lojas Quero Quero, assim como qualquer outro processo de IPO foi um importante marco para a companhia. Afinal, marca o início da trajetória da companhia como uma sociedade anonima, e o início da listagem das ações da empresa na bolsa de valores.

Desse modo, desde sua estreia, as ações da Quero Quero (LJQQ3) passaram por muitas altas e baixas. No entanto, as Ações Quero Quero hoje refletem a desconfiança do mercado com todo o segmento de varejo e acumula uma queda de quase 32% desde sua estreia na bolsa de valores.

Ações Quero Quero vale a pena? Ações Quero Quero hoje
Cotação das Lojas Quero Quero desde estreia na B3.

Ações Quero Quero vale a pena?

Longe dos holofotes das grandes varejistas, como Magazine Luiza (MLGU3) e Via (VIIA3), a Lojas Quero-Quero tem grande potencial de entregar resultados, afirma o Bank of America (BofA) em relatório enviado a clientes.

O banco tem recomendação de compra para as ações, com preço-alvo de R$ 18, alta de 90% ante o fechamento da quarta-feira (12).

Segundo os analistas, a baixa participação de mercado sugere uma oportunidade para o negócio base da Lojas Quero-Quero crescer 10 vezes no longo prazo.

Leia mais  Gestores de fundos do mundo inteiro estão preocupados com economia mundial

Pelos cálculos dos analistas, a Quero-Quero possui 5,4% de participação no mercado em Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

“Essa penetração ainda é muito baixa em cidades com população abaixo de 300 mil habitantes. Eles buscam uma combinação de fiscalização tributária, digitalização, solidez do balanço patrimonial e execução para permitir que a LJQQ triplique sua participação de mercado no longo prazo”, afirma.

Além disso, mais de 60% dos mercados de Santa Catarina e Paraná não têm presença da varejista, lembra. Os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul são os próximos alvos da companhia.

As Ações do Quero-Quero hoje: o caminho é no e-commerce?

Mesmo com a ampliação da rede de lojas físicas, é no e-commerce que o BofA enxerga maior oportunidade para a Quero-Quero. Na visão do banco, os esforços do digital podem valer mais do que o valor de mercado atual da rede.

“Se eles aumentarem as vendas em 25% a 30% em um período de quatro anos, sugerimos que o valor incremental poderia exceder o valor de mercado atual”, diz.

Em outubro do ano passado, a companhia começou a testar interfaces digitais na loja, com adição de 20 mil novos SKU (Unidade de Manutenção de Estoque, em português), com até 9 mil itens.

A campanha foi um sucesso, o que fez a empresa expandir a iniciativa para outras 140 unidades na temporada de vendas de fim de ano.

“Agora, esperamos que uma experiência digital completa esteja em toda a cadeia até abril. Novos itens aumentam o mercado total endereçável da Lojas Quero-Quero em cerca de 50%, têm margens mais altas e adicionam despesas incrementais baixas”, observa.

As ações da Quero-Quero acumulam queda de 14% em 2022. Desde o seu IPO, em agosto de 2020, a ação caiu 32%.

Faça parte do melhor grupo de investidores no Telegram: Entrar no Grupo

Siga nossas redes e não fique desatualizado do mercado:

Leia mais

Esqueça as ações da Magalu: esta ação do varejo pode disparar 90% em 2022

Leonardo Bruno

13° acabou? Garanta seu 14° com este combo de dividendos

Leonardo Bruno

Resumo Resultados 3T21: São Martinho, Quero-Quero e Blau

Leonardo Bruno

Quero-Quero aumenta lucro em 259% no Resultado 2T21

Leonardo Bruno

Necton e Ativa fazem mudanças nas carteiras semanais; Confira

Gabriel Tavares

Neogrid, EspaçoLaser, PetroRio e mais 7 ações para Junho, da Genial

Gabriel Tavares

Deixe seu comentário