Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Botijão a R$ 152: preço do gás de cozinha bate recorde do século

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Gás de cozinha atinge R$ 152 em Tefé, um dos 71 municípios com preços acima da média histórica.

O preço do gás de cozinha atingiu níveis alarmantes em várias partes do Brasil, com destaque para a cidade de Tefé, no Amazonas, onde o botijão de 13 quilos do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) está sendo vendido por incríveis R$ 152, marcando um recorde de preços. Essa situação é parte de uma tendência que afeta 71 municípios brasileiros, onde os preços do gás ultrapassaram a maior média nacional semanal do século, que era de R$ 113,66.

A análise do Observatório Social do Petróleo (OSP) revela que a região Norte do país, parcialmente abastecida pela Refinaria da Amazônia (Ream), é a mais afetada, com 6 das 10 cidades mais caras para o gás de cozinha. No entanto, a situação também afeta estados como Rio de Janeiro e São Paulo, com municípios como Macaé e Marília registrando preços elevados.

Preço do gás de cozinha alcança R$ 152 em Tefé, no Amazonas, em meio a uma tendência de alta nacional

O preço do gás de cozinha atingiu níveis alarmantes em várias partes do Brasil, deixando muitos consumidores preocupados com o impacto em seus orçamentos domésticos. O destaque dessa escalada de preços é a cidade de Tefé, localizada no Amazonas, onde o botijão de 13 quilos do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) está sendo vendido por R$ 152, o valor mais alto registrado no país e um recorde histórico.

O Observatório Social do Petróleo (OSP) divulgou dados alarmantes sobre a situação do preço do gás de cozinha no Brasil. Em 71 municípios brasileiros, os preços superaram a maior média nacional semanal do século, que era de R$ 113,66, registrada em abril de 2022. Essa tendência afeta especialmente a região Norte do país, com 6 das 10 cidades mais caras para o gás de cozinha.

Leia mais  Câmara aprova MP que cria marco regulatório da securitização

A agência verificou que o valor do botijão de gás em 456 municípios do Brasil, na semana de 12 a 18 de novembro, variou de R$ 114 a R$ 152. Em 71 cidades os preços estão acima da marca da série histórica – que tem início em julho de 2001, quando o órgão regulador federal começa a divulgar os valores do gás de cozinha.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Entre os fatores que contribuem para esses preços elevados, que resultou em custos mais altos para a região Norte, estão os gastos adicionais com transporte e logística, devido à distância geográfica. Essa situação tem gerado críticas e preocupações, com apelos para a reestatização de refinarias e ações para controlar os preços do gás de cozina.

Leia mais  Banco Central deixa de regular cartões de auxílio-alimentação em março

Na lista geral dos 71 municípios acima do recorde do século aparecem três cidades do estado do Rio de Janeiro e três de São Paulo. No Rio, Macaé cobra R$ 123 pelo botijão e é o município com o preço mais caro do estado. Logo em seguida, estão Itaguaí (R$ 121) e Angra dos Reis (R$ 114,84). Em São Paulo, o maior custo do gás de cozinha foi constatado em Marília (R$ 114,44), seguido por Itapeva (R$ 114,16) e Guarujá (R$ 114,09).

“A cidade de Tefé está localizada a apenas 180 km do Polo Urucu, a maior reserva terrestre de gás natural do país, e é o ápice da contradição que justo nessa região a população seja condenada a pagar os preços mais altos”, disse em nota o secretário geral da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), Adaedson Costa.

A alta nos preços do gás de cozinha representa um desafio significativo para muitas famílias brasileiras, que dependem desse combustível para cozinhar seus alimentos. A situação também levanta questões sobre a política de preços dos combustíveis no Brasil e a necessidade de medidas para tornar esse produto mais acessível à população.

Leia mais  AMBEV: Com novo presidente ela pode voltar a crescer?

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Mercados reagem a incertezas fiscais com alta dos juros e dólar

Autor Convidado

Dólar sobe para R$ 5,38 e emenda quarta semana de alta

Agência Brasil

Greve na ANP preocupa diretor

Rodrigo Mahbub Santana

Inflação de 2024 pesa mais para famílias de renda muito baixa

Agência Brasil

Nova presidente da Petrobras troca três diretores da estatal

Agência Brasil

Economia brasileira cresce apenas 0,01% em abril

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário