Guia do Investidor
Consorcio Imagem casa e chave
Notícias

Capitais registram menor alta do aluguel dos últimos anos

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Em Belo Horizonte, a variação anual acumulada é a menor desde fevereiro de 2022. Em São Paulo e em Curitiba, trata-se do percentual mais baixo em dois anos.

O preço do metro quadrado para aluguel nas principais capitais do país tem crescido em um patamar cada vez menor. Em abril, uma das cidades registrou, inclusive, uma redução no valor. É o que revela o Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb, divulgado hoje. 

Em Belo Horizonte, a variação acumulada nos últimos 12 meses (12,11%) é a menor desde fevereiro de 2022. Isso significa que o preço continua a subir na capital mineira, mas num ritmo menor. A cidade teve, em abril, o 17º mês consecutivo de aumento no valor, chegando ao recorde de R$ 35,50 o metro quadrado em média. 

Em São Paulo, o patamar de crescimento do aluguel também é o menor dos últimos dois anos. A variação em 12 meses ficou em 9,38% – o percentual mais baixo desde abril de 2022. O movimento de desaceleração dos preços não significa que o valor tenha diminuído para o consumidor. Pelo contrário: o preço médio na cidade subiu pelo 33º mês consecutivo, fechando em R$ 63,08. É o maior valor de toda a série histórica, iniciada em 2019. 

O cenário é parecido com o de Curitiba. Na capital paranaense, a variação acumulada no último ano também é a menor dos últimos dois anos, isto é, desde abril de 2022. O mercado imobiliário da cidade, porém, tem apresentado uma valorização consistente em todos os bairros no período. A demanda contínua por propriedades na cidade é impulsionada por uma combinação de fatores, incluindo o aquecimento do mercado neste início do ano. 

Leia mais  ChatGPT vai tomar meu emprego?

No Rio de Janeiro, o mercado de aluguel de imóveis segue registrando alta mês a mês, mas o aumento também tem sido cada vez mais moderado. O crescimento dos preços atingiu 15,07% nos últimos 12 meses, encerrados em abril: o menor patamar registrado desde agosto de 2022. 

Brasília, por sua vez, teve uma queda no preço pela primeira vez após quase um ano. A retração registrada em abril foi de 0,39% em comparação com março. A última vez que isso aconteceu foi em junho de 2023. O movimento pode ser observado como um alívio para os inquilinos que têm enfrentado constantes aumentos. No último mês, o preço do metro quadrado foi negociado a R$ 45,85, em média. 

“A desaceleração do preço tem sido vista com cada vez mais clareza nas capitais pesquisadas. Passada a alta temporada de aluguéis, é importante monitorar como fica essa tendência agora ao longo do ano”, afirma Thiago Reis, gerente de Dados do Grupo QuintoAndar.

Veja na tabela os preços do m² e as variações em cada cidade: 

Leia mais  Resumo da semana: Desaceleração na economia dos EUA e a expectativa na ata do Copom com os detalhes sobre a redução da Selic
 

abril/2024

Variação mensal

Variação anual

São Paulo R$ 63,08 0,64% 9,38%
Rio de Janeiro R$ 41,04 1,42% 15,07%
Belo Horizonte R$ 35,50 1,48% 12,11%
Curitiba R$ 39,52 1,39% 18,64%
Porto Alegre R$ 34,00 0,34% 12,17%
Brasília R$ 45,85 -0,39% 13,68%

 


Espaço para negociar
Apesar dos valores expressivos, os consumidores ainda encontram espaço para negociar. Dados do Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb mostram que o desconto médio das transações feitas em abril chegou a até 3,7% (no caso de Porto Alegre). 

“Os dados mostram que há, sim, espaço para barganhar e conseguir o melhor preço na hora de alugar. Por isso, é muito importante que a busca seja iniciada mais cedo, o que aumenta a possibilidade de um desconto maior”, afirma Reis.


Leia mais  Lucro da Localiza (RENT3) sobe quase 60% no resultado 4T23 
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Gestores estão decepcionados com Brasil

Márcia Alves

Nuback nega ligação com Brasil Paralelo

Márcia Alves

Franquias de alimentação crescem 26,6% no 1º trimestre

Fernando Américo

Mais de 60% dos MEI’s não têm o hábito de emitir nota fiscal

Fernando Américo

Exploração da Margem Equatorial pode duplicar reservas

Fernando Américo

Metade dos brasileiros teme ser substituído pela IA no trabalho

Fernando Américo

Deixe seu comentário