Guia do Investidor
real moeda dinheiro mcajr 2904223671
Agência Brasil Notícias

CNI e Firjan acharam “tímido” o corte da taxa Selic

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O corte de meio ponto percentual na taxa Selic (juros básicos da economia) recebeu críticas das entidades do setor produtivo. Segundo representantes da indústria, os juros continuam altos.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) classificou de “injustificável” a decisão desta quarta-feira (31) do Comitê de Política Monetária (Copom). Em nota, o presidente da entidade, Ricardo Alban, o Banco Central deve ter maior compreensão da realidade brasileira. Ele pediu “mais ousadia” no ritmo de queda da taxa Selic para diminuir significativamente o custo financeiro das empresas.

“É necessário e desejável maior agressividade do Copom para que ocorra uma redução mais significativa do custo financeiro suportado por empresas, que se acumula ao longo das cadeias produtivas, e consumidores. Sem essa mudança urgente de postura, seguiremos penalizando não só a economia brasileira, mas, principalmente os brasileiros, com menos emprego e renda”, criticou Alban. Antes da reunião do Copom, a CNI tinha soltado nota pedindo um corte de 0,75 ponto percentual.

Segundo a CNI, as expectativas para a inflação em 2024 estão abaixo do teto da meta, e o câmbio pode contribuir para controlar a inflação. O comunicado lembrou que o dólar comercial caiu de R$ 5,40 no início de 2023 para R$ 4,90 neste ano.

Leia mais  Petróleo e gás: 13 empresas devem participar de leilão da OPP

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) emitiu comunicado em que considera crucial a continuidade das reduções da taxa Selic para a economia. No entanto, a entidade afirma que existe espaço para cortes mais intensos.

“O retorno da inflação à meta em 2023 e a desaceleração do índice prévio de janeiro têm provocado reduções nas expectativas inflacionárias, especialmente para o ano de 2024. Os cortes mais acentuados dos juros também se justificam pelos dados de curto prazo, que indicam um cenário de desaceleração da atividade econômica”, avalia a Firjan.

Fonte: Agência Brasil


Nos siga no Google News
Leia mais  Leilão de terminais portuários arrecada R$ 208 milhões em outorgas

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Exploração de petróleo na costa brasileira é essencial, diz Magda

Agência Brasil

Bancos não terão atendimento presencial ao público nesta quinta

Agência Brasil

Prévia da inflação acelera para 0,44%, puxada pela gasolina

Agência Brasil

Número de jovens que não estudam nem trabalham cresce

Agência Brasil

Governo Central tem superávit primário de R$ 11,1 bilhões

Agência Brasil

Juros recuam, mas rotativo do cartão sobe, atingindo 423,5%

Agência Brasil

Deixe seu comentário