Guia do Investidor
Bolsa de Nova York 1280x720 1
Notícias

Dow Jones e S&P500 batem recordes; Meta dispara 20%

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Bolsas de NY atingem recordes apesar de dados econômicos incertos. Meta sobe mais de 20% com anúncio de dividendo.

As bolsas de Nova York tiveram um dia de forte desempenho, com o Dow Jones e o S&P500 atingindo novos recordes de fechamento e máxima intraday. Isso ocorreu mesmo após a divulgação do robusto payroll de janeiro, que gerou incertezas em relação ao início do afrouxamento monetário pelo Federal Reserve (Fed).

O destaque desse movimento foi a Meta, que viu suas ações dispararem mais de 20% após anunciar seu primeiro dividendo na história.

Mercados americanos atingem patamares históricos apesar de dados econômicos incertos

As bolsas de valores de Nova York registraram um dia de alta intensidade, com recordes sendo quebrados tanto no fechamento quanto durante a sessão de negociações. Isso ocorreu surpreendentemente, mesmo após a divulgação do payroll de janeiro, que trouxe consigo incertezas sobre o início do afrouxamento monetário pelo Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos.

O Dow Jones Industrial Average subiu 0,35%, encerrando o dia com 38.654,42 pontos, enquanto o S&P500 teve um aumento de 1,07%, alcançando os 4.958,61 pontos. O índice Nasdaq foi o grande destaque, registrando um avanço notável de 1,74%, fechando a sessão com 15.628,95 pontos. Esses ganhos representaram novos recordes tanto de fechamento quanto de máxima intraday para esses índices.

Leia mais  Gerdau (GGBR4) lucra R$ 732 milhões no 4T de 2024

O otimismo nos mercados foi impulsionado por diversos fatores, incluindo a recuperação das ações do setor bancário americano e o desempenho sólido das gigantes de tecnologia, que reportaram resultados positivos no quarto trimestre do ano anterior. No entanto, o grande destaque do dia foi a Meta (anteriormente Facebook), cujas ações dispararam incríveis 20,32% após o anúncio de seu primeiro dividendo na história da empresa.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Paralelamente, os rendimentos dos Treasuries também apresentaram um aumento. O juro do T-bond de 30 anos subiu para 4,217%, refletindo a dinâmica do mercado de títulos. O ambiente econômico continua a ser marcado por incertezas, mas os investidores parecem manter a confiança nos fundamentos do mercado, impulsionando os índices a níveis históricos.

Leia mais  Bolsa se recupera com Hapvida e MRV apesar da queda da Vale e Petrobras

A divulgação de dados de empregos nos EUA e a migração de investidores estrangeiros impactam o mercado cambial no Brasil

Nesta sexta-feira, o dólar teve um desempenho notável, registrando uma forte alta em relação ao real, devido a eventos significativos tanto nos Estados Unidos quanto no mercado brasileiro. O principal impulsionador desse movimento foi a divulgação do payroll nos EUA, que revelou um aumento substancial na geração de empregos em janeiro, superando em muito as expectativas.

Esse desenvolvimento surpreendente praticamente enterra as esperanças de o Federal Reserve, o banco central americano, iniciar um afrouxamento monetário já em março e gera incertezas sobre a possibilidade de um corte de juros em maio.

Além disso, a alta do dólar também foi influenciada pela migração de investidores estrangeiros do mercado brasileiro para a bolsa de valores americana. Isso ocorreu devido aos atrativos resultados das empresas de tecnologia nos Estados Unidos.

De acordo com dados da B3, os investidores estrangeiros retiraram uma quantia significativa, totalizando R$ 7,9 bilhões, da bolsa brasileira. Essa saída de capital estrangeiro representa a maior em um mês desde 2020, quando houve uma retirada de R$ 19,157 bilhões.

Leia mais  Ação da B3 (B3SA3) ficam entre as maiores altas após Santander recomendar compra

No fechamento do mercado, o dólar à vista encerrou o dia com um aumento de 1,07%, cotado a R$ 4,9683, após oscilar entre R$ 4,9083 e R$ 4,9763 ao longo do dia. Na semana, a moeda norte-americana acumulou um aumento de 1,17%. Além disso, o dólar futuro para março também registrou um avanço de 1,03%, sendo cotado a R$ 4,9805 às 17h02.

No cenário internacional, o índice DXY subiu 0,86%, alcançando os 103,930 pontos, enquanto o euro caiu 0,72%, atingindo US$ 1,0794, e a libra recuou 0,84%, chegando a US$ 1,2638. Esses movimentos demonstram a influência das notícias econômicas globais no mercado cambial brasileiro.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa encerra em alta de 0,15% após seis dias de queda

Rodrigo Mahbub Santana

Gringos sacam R$ 4,63 bi na bolsa de valores brasileira

Márcia Alves

Crise na Bolsa de Valores? Um alerta para a economia brasileira

Autor Convidado

O que acontece com uma nova bolsa de valores no Brasil?

Guia do Investidor

Ministro critica “lucro exorbitante” da Petrobras e nega interferência

Rodrigo Mahbub Santana

Empresa de Trump tem prejuízo de quase US$ 60 bi em 2023

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário