Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Fundos de ações e multimercados têm resgates líquidos de R$ 14 bilhões em abril

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

É o oitavo mês consecutivo que as classes registram mais retiradas do que aplicações

São Paulo, 6 de maio de 2022 — Os fundos de ações e multimercados sofreram R$ 14 bilhões de resgates líquidos em abril, de acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). A classe de ações registrou retiradas de R$ 7,3 bilhões, enquanto os multimercados de R$ 6,7 bilhões. É o oitavo mês consecutivo que esses fundos têm mais retiradas do que aplicações. A indústria de fundos como um todo teve captação líquida positiva de R$ 38,5 bilhões — diferença entre R$ 844,48 bilhões de aportes e R$ 805,98 bilhões de resgates.

Leia mais  Bolsonaro encerra publicação de balanço em jornais

“As altas da Selic e o desempenho do Ibovespa em abril, que foi o pior dos últimos dois anos, contribuem para uma maior aversão a risco dos investidores, que, geralmente, se traduz em saídas dos produtos considerados mais arriscados e ida para a renda fixa”, explica Pedro Rudge, vice-presidente da ANBIMA.

A classe de renda fixa encerrou o mês com captação líquida positiva de R$ 4,9 bilhões. Apesar de positivo, o valor é inferior aos registrados nos últimos meses por conta de um resgate concentrado de um único fundo de R$ 13 bilhões.

Os fundos de previdência registraram retiradas líquidas de R$ 2,9 bilhões — quase o dobro dos resgates de março.

Rentabilidades

Os fundos multimercado long and short neutro (fazem operações de ativos e derivativos, montando posições compradas e vendidas) tiveram a melhor rentabilidade da classe no mês: 2,86%. Dentre os demais tipos da classe, apenas o estratégia específica (adota estratégia que implique riscos específicos, por exemplo, commodities) teve retorno negativo com 1,01%. Na classe de renda fixa, o destaque foi o tipo duração alta grau de investimento (aplica, no mínimo, 80% em títulos públicos e/ou ativos de baixo risco) com 1,59%. Todos os fundos de ações fecharam no negativo. O menos impactado foi o mono ação (tem estratégia de investimento em apenas uma empresa) com rentabilidade negativa de 4,90%.

Leia mais  A TV por assinatura pode chegar ao fim e eis o motivo

Confira os resultados na íntegra


Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Leia mais  Oi arrecada R$ 120 milhões com venda de prédio
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Fundos imobiliários: por que investir neles agora?

Guia do Investidor

M. Dias recomprará até 3,5 milhões de ações

Márcia Alves

Investidores e Gestores perdem otimismo em relação ao Brasil

Paola Rocha Schwartz

Como investir em Fundos Imobiliários: Guia para Iniciantes

Guia do Investidor

Santander reduz preço-alvo da Hapvida

Rodrigo Mahbub Santana

Americanas faz proposta para grupamento de ações

Márcia Alves

Deixe seu comentário