Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Lula sabota o país e demonstra desconhecimento sobre contas públicas, afirma Folha

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Lula indica que governo não atingirá meta de déficit primário zero em 2024, gerando preocupações no mercado financeiro.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva gerou controvérsias ao sinalizar que sua gestão não atingirá a meta de déficit primário zero em 2024. Apesar de ser uma opinião compartilhada por muitos, Lula destacou que a meta não será alcançada devido à ausência de cortes em investimentos e obras.

Além disso, ele criticou o mercado financeiro, alegando que é excessivamente ganancioso e cobra metas inatingíveis. Essas declarações vêm em um momento em que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, trabalha arduamente para controlar o déficit e a dívida do governo, buscando convencer o Congresso a aprovar aumentos de impostos e evitar gastos excessivos.

Presidente Lula desafia expectativas fiscais e critica pressões do mercado

O cenário fiscal brasileiro tem sido motivo de preocupação e debate intenso. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, tem se esforçado para conter o crescimento do déficit e da dívida do governo, buscando convencer o Congresso a aprovar medidas fiscais mais rigorosas. No entanto, o presidente Lula surpreendeu a todos ao indicar que a meta de déficit primário zero para 2024 não será alcançada.

Lula, que anteriormente havia adotado uma postura mais contida em relação às declarações econômicas, decidiu expressar sua opinião sobre a situação fiscal do país. Ele afirmou que, entre outros motivos, a meta não será cumprida devido à ausência de cortes em áreas como investimentos e obras. Além disso, criticou o mercado financeiro, alegando que é excessivamente ganancioso e cobra metas que são inatingíveis.

Essa postura do presidente gerou preocupações no mercado, uma vez que recusar mais déficit não é considerado ganância, mas sim uma necessidade para a estabilidade econômica. Aumentar o déficit pode levar a uma maior necessidade de empréstimos a taxas elevadas, impactando negativamente a economia.

Leia mais  Lula nomeia seus próprios ministros para conselho da Itaipu Binacional

Além das declarações do presidente, parlamentares têm proposto medidas que aumentam a despesa ou reduzem a receita, colocando ainda mais pressão sobre as contas públicas. Lula, com suas recentes declarações, parece se alinhar a essa tendência de aumento de gastos.

O desafio agora é entender como o governo lidará com essa situação e quais serão as medidas adotadas para garantir a estabilidade fiscal e econômica do país. A postura do presidente Lula, que parece desconsiderar a importância de metas fiscais rigorosas, certamente será um ponto de discussão nos próximos meses.

Governo Lula se aproxima de rombo de R$ 100 bilhões nos cofres públicos em 2023

O rombo nas contas públicas do governo, registrado de janeiro a setembro de 2023, é o mais significativo desde 2020, quando o déficit alcançou R$ 850,2 bilhões. Em contraste, o ano de 2022 viu um superávit de R$ 37,9 bilhões no mesmo período. Estes dados, corrigidos pelo IPCA, são fornecidos pelo Tesouro Nacional.

Em termos nominais, o déficit atingiu R$ 93,4 bilhões nos primeiros nove meses de 2023. O saldo primário é calculado subtraindo-se as receitas das despesas, sem considerar os pagamentos de juros da dívida. No início do ano, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, havia estabelecido uma meta de déficit primário de R$ 100 bilhões para 2023.

Leia mais  Cresce percentual de pessoas a favor de privatizações, aponta pesquisa

Rogério Ceron, secretário do Tesouro Nacional, mencionou em uma coletiva de imprensa que existem “pressões adicionais” que podem afetar a meta de 2023. Ele citou impactos como a Lei Complementar 201/2023, que prevê compensações de R$ 20 bilhões aos estados e municípios, e a perda de arrecadação devido à variação cambial e inflação, estimada entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões.

Além disso, havia a expectativa de arrecadar R$ 50 bilhões com o Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) em 2023, mas essa cifra foi revisada para apenas R$ 10 bilhões. Apesar dos desafios, Ceron reiterou o compromisso da equipe econômica em perseguir os objetivos estabelecidos.

Por outro lado, o governo federal registrou um superávit de R$ 11,55 bilhões em setembro de 2023, o melhor resultado para o mês desde 2010. Esse superávit foi impulsionado por recursos não sacados do PIS/Pasep, totalizando R$ 26,0 bilhões. Em comparação com setembro de 2022, houve um aumento real de 0,4%.

Leia mais  Elon Musk diz que Moraes é "ditador" e "tem Lula na coleira"
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Novas metas fiscais podem ser descumpridas

Rodrigo Mahbub Santana

BB e Petrobras: Estatais lucram 24% menos no Governo Lula

Paola Rocha Schwartz

A volta dos Batista: Lula visita fábrica da JBS

Rodrigo Mahbub Santana

Popularidade de Lula apresenta queda em quatro estados

Paola Rocha Schwartz

Superávit fiscal enfrenta desafios

Rodrigo Mahbub Santana

Governo Lula dá “calote” no transporte escolar à prefeituras

Márcia Alves

Deixe seu comentário