Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Maioria dos deputados aprovam taxação de dividendos, aponta pesquisa

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

De acordo com pesquisa da Arko Advice, 62,61% dos deputados são favoráveis ao fim da isenção de IR sobre dividendos, vigente desde 1996.

Uma pesquisa realizada pela Arko Advice revelou que a maioria dos deputados brasileiros apoia a taxação de dividendos. Dos parlamentares consultados, 62,61% acreditam que a isenção, que está em vigor desde 1996, deve ser encerrada. Além disso, 57% dos deputados são a favor da redução das alíquotas do imposto pago pelas empresas. Há divisões quanto ao fim do Juro sobre Capital Próprio (JCP), um mecanismo que reduz o imposto pago pelos acionistas.

A pesquisa também mostrou que 53,27% concordam com a tributação de fundos exclusivos e 64,48% veem como correta a iniciativa de taxar rendimentos em empresas offshore.

Deputados divididos sobre taxação de dividendos e Juro sobre Capital Próprio

A recente pesquisa da Arko Advice trouxe à tona a opinião dos deputados brasileiros sobre a taxação de dividendos. Desde 1996, os dividendos estão isentos do pagamento de Imposto de Renda, com a justificativa de que o lucro do acionista já é taxado na empresa pelo Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ). Esta isenção foi implementada durante os primeiros meses do Plano Real, após o país enfrentar altas taxas de inflação.

A pesquisa, conduzida pelos cientistas políticos Murillo de Aragão e Cristiano Noronha, foi realizada entre 7 de março e 10 de agosto, entrevistando 107 deputados de 21 partidos políticos. Os resultados mostraram que, além da questão dos dividendos, outros temas tributários estão em discussão. Por exemplo, 70,09% dos deputados entrevistados concordam em revisar os “gastos tributários”, que representam uma renúncia de arrecadação de tributos federais de cerca de R$ 600 bilhões anualmente.

Leia mais  Gasolina poderá ter 35% de alcool em sua mistura

Outro ponto de destaque é a opinião dos deputados sobre os juros cobrados nas compras com cartão de crédito. Na pesquisa, 89,71% dos parlamentares defendem a limitação dos juros nessa modalidade de pagamento.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

A taxação de dividendos e outros temas tributários estão na agenda do Congresso, especialmente após a tramitação da reforma tributária. A União terá que apresentar, em até 180 dias após a aprovação da reforma, um projeto de reformulação das regras de tributação da renda.

A decisão de isentar dividendos em 1996 visava incentivar o investimento produtivo. No entanto, com o tempo, essa isenção levou a algumas distorções, como a “pejotização”, onde empresas transformavam funcionários em sócios para garantir remuneração isenta de IR. A gestão atual busca revisar essas isenções e adaptar a legislação tributária às necessidades atuais do país.

Leia mais  As melhores ações de Dividendos para Janeiro

Prepare o bolso: Petrobras anuncia data de pagamento de dividendos referente ao 1T23

Falando de dividendos, a Petrobras (PETR3; PETR4) anuncia o pagamento da primeira parcela da remuneração aos acionistas, referente ao primeiro trimestre de 2023, consolidando seu compromisso com seus investidores. Neste dia 18 de agosto, a companhia realiza o repasse financeiro aos detentores de ações ordinárias e preferenciais, contribuindo para a valorização dos acionistas e a distribuição de resultados.

O montante bruto a ser distribuído é de R$ 0,946788 por ação, abrangendo tanto as ações ordinárias quanto as preferenciais. Esse valor é composto por duas formas de remuneração distintas: dividendos e juros sobre capital próprio.

Dos R$ 0,946788 por ação, R$ 0,278179 correspondem a dividendos. Essa parcela representa a parte dos lucros da empresa que é distribuída entre os acionistas. Os dividendos são uma maneira de retribuir os investidores pelo seu apoio e confiança na Petrobras, proporcionando um retorno financeiro em relação às suas participações acionárias.

A outra parte do valor, equivalente a R$ 0,668609 por ação, é destinada a juros sobre capital próprio. Essa forma de remuneração tem uma característica peculiar: ela é calculada com base no capital investido pelo acionista na empresa. Assim, os juros sobre capital próprio são uma forma de reconhecimento dos investidores que mantêm suas posições acionárias, estimulando a permanência e o comprometimento de longo prazo.

É importante destacar que, para os investidores que detêm American Depositary Receipts (ADRs) negociados na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), o pagamento da remuneração ocorrerá de forma ligeiramente diferenciada. Os acionistas que possuem ADRs terão o valor creditado a partir do dia 25 de agosto de 2023.

Leia mais  Caixa seguridade antecipa R$ 1,5 bilhão em Dividendos

Essa iniciativa da Petrobras demonstra a importância que a empresa atribui aos seus acionistas e ao compartilhamento dos resultados obtidos. A remuneração é uma forma tangível de reconhecimento da confiança dos investidores na trajetória da companhia e no potencial de seus negócios. Além disso, ela reforça o compromisso da Petrobras em assegurar um retorno justo aos seus acionistas, contribuindo para fortalecer a relação entre a empresa e aqueles que investem em seu crescimento.

O pagamento da primeira parcela de remuneração aos acionistas referente ao primeiro trimestre de 2023 evidencia o alinhamento da Petrobras com os objetivos de seus investidores e com a busca por resultados consistentes. A companhia se destaca não apenas como uma das principais empresas do setor energético, mas também como uma empresa que valoriza a transparência, a responsabilidade e o compromisso com aqueles que acreditam em seu potencial.

Em um mercado financeiro em constante movimento, a Petrobras se posiciona como um exemplo de eficiência e de estratégia voltada para a criação de valor. O pagamento da remuneração aos acionistas é mais um capítulo nessa trajetória de sucesso, reafirmando a importância da parceria entre a empresa e seus investidores na construção de um futuro promissor.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Governo Lula distribui verbas secretamente para aliados políticos

Rodrigo Mahbub Santana

Petrobras faz atualização do valor de dividendos

Márcia Alves

Governo se movimenta para votar PERSE ainda nesta semana

Rodrigo Mahbub Santana

Petrobras decide hoje dividendos e novos membros do conselho

Paola Rocha Schwartz

Sondagem mostra piora na avaliação do Governo Lula

Paola Rocha Schwartz

Vale (VALE3) está entre as melhores escolhas para dividendos

Márcia Alves

Deixe seu comentário