Guia do Investidor
mg 1446 0
Agência Brasil Notícias

Petrobras age politicamente contra privatização da Refinaria de Mataripe

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A Petrobras abriu investigação administrativa para avaliar a venda da Refinaria Landulpho Alves, em novembro de 2021, informou nesta sexta-feira (5) o presidente da estatal, Jean Paul Prates. Ele reagiu à divulgação de um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) que apontou “privatização com baixo preço”.

“A respeito das notícias que têm sido veiculadas sobre a venda, pelo governo anterior, da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), e tendo sido procurado por diversos veículos de comunicação, informo que essa questão está sob avaliação da Petrobras, em diálogo com os órgãos de controle”, postou Prates na rede X, antigo Twitter.

Segundo Prates, o negócio está sendo analisado por áreas de Petrobras que analisam a governança e a integridade da companhia.

“A legitimidade do controle externo de fiscalizar as atividades da Petrobras é indiscutível e necessária, compondo o sistema de governança que protege a empresa”, acrescentou o presidente da estatal.

Na auditoria, a CGU criticou o momento escolhido para o negócio. Conforme o relatório, a privatização ocorreu num cenário de “tempestade perfeita”, em meio a efeitos da pandemia de covid-19, à fraca previsão de crescimento da economia brasileira na época e à baixa cotação do petróleo no mercado internacional no fim de 2021.

Leia mais  Proposta exige relatórios mensal e anual para os fiadores de imóveis

O relatório não afirma, de maneira categórica, que houve perda econômica com a venda da refinaria. O documento, no entanto, questiona o momento do negócio, argumentando que a Petrobras poderia ter esperado a recuperação do petróleo no mercado internacional.

Rebatizado de Refinaria de Mataripe, o empreendimento foi vendido por US$ 1,65 bilhão (R$ 8,03 bilhões pelo câmbio atual) ao fundo Mubadala Capital, divisão de investimentos da Mubadala Investment Company, fundo soberano de Abu Dhabi e que pertence à família real dos Emirados Árabes Unidos.

Atualmente à Refinaria de Mataripe é administrada pela Acelem, empresa pertecende a Mubadala Capital.

Fonte: Agência Brasil

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Dólar aproxima-se de R$ 5,20 com exterior e novas metas fiscais

Agência Brasil

Conselho Petrobras: confira quem são os 9 membros ativos

Rodrigo Mahbub Santana

Bitcoin registra queda após ataques do Oriente Médio

Márcia Alves

Inflação sobe 0,16% em março e pesa para famílias de baixa renda

Agência Brasil

Bancos promovem mutirão de negociação até esta segunda

Agência Brasil

Radar altera sua posição acionária na Copel

Márcia Alves

Deixe seu comentário