Guia do Investidor
ibovespa b3
Notícias

Selic em um dígito: Fundos aguardam a redução na taxa

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A alta taxa Selic, está impulsionando investidores locais a se afastarem do mercado de ações, resultando em níveis historicamente baixos de exposição aos fundos de ações. Isso deixa o Ibovespa inatrativo para investidores estrangeiros. Embora o Banco Central brasileiro tenha reduzido a Selic nos últimos meses, desde agosto de 2023, estrategistas do JPMorgan e do Bank of America afirmam que os investidores brasileiros só retomarão o interesse na bolsa quando as taxas de juros caírem para um dígito, algo que o mercado projeta para a segunda metade do ano. Com os fundos locais mantendo uma postura cautelosa, o Ibovespa tem oscilado, influenciado pelo sentimento externo nos últimos meses.

Ibovespa a 20% em 2024

Apesar das previsões otimistas de analistas de grandes instituições financeiras, que estimam um aumento de até 20% no Ibovespa este ano devido aos cortes nas taxas de juros pelo Fed, os fundos locais reduziram sua exposição em ações para 9%, aproximando-se das mínimas históricas de 8%, conforme relatórios de janeiro do JPMorgan indicam. O Ibovespa teve um aumento de 19% nos últimos dois meses de 2023, impulsionado por compras estrangeiras de R$ 38,5 bilhões em ações. Contudo, registrou uma queda de 4,8% em janeiro, com uma saída de R$ 7,9 bilhões, motivada pelas expectativas de que o Fed manterá as taxas de juros elevadas por mais tempo. Em fevereiro, até o dia 21, a saída de estrangeiros já atingiu R$ 10,1 bilhões.

Leia mais  Ibovespa perde força em meio a preocupação com recessão global

Expectativas

David Beker, Head do Bank of America, prevê que a trajetória do mercado continuará sendo influenciada a curto prazo pelos investidores estrangeiros. Os fundos brasileiros enfrentaram resgates líquidos significativos, totalizando R$ 128 bilhões no ano passado, de acordo com a Anbima. Fundos multimercado e de ações tiveram saídas de R$ 134,3 bilhões e R$ 17 bilhões, respectivamente.

AO mercado é pessimista, com as ações brasileiras apresentando desempenho inferior aos seus pares na América Latina. Investidores americanos começaram a retirar dinheiro do mercado de ações brasileiro. O iShares MSCI Brazil (ETF) teve saídas de US$ 202 milhões na terça-feira (20), impulsionadas por preocupações com a China, especialmente em relação a grandes empresas como a Vale.

Apesar dos riscos contínuos, o Santander e outros 13 bancos e assets mantêm suas perspectivas inalteradas, apostando em ganhos de até 20% para o Ibovespa em 2024.

Selic vai continuar em queda? Santander revela projeções

O banco Santander atualizou suas expectativas para o cenário econômico brasileiro, prevendo uma desaceleração inflacionária mais rápida que o esperado e antecipando uma queda mais acentuada na taxa Selic para os próximos anos. A revisão acontece mesmo após um aumento no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acima do previsto em janeiro, o que havia causado uma abertura no DI (Depósito Interfinanceiro) na véspera.

Leia mais  NY recua com falas do Fed; Ibovespa ultrapassa 120 mil pontos puxado por Petrobras

Ana Paula Vescovi, economista-chefe do Santander, destacou em relatório que a dinâmica de desinflação no Brasil tem surpreendido positivamente, o que permite antecipar um ciclo mais extenso de redução de juros. Inicialmente, a expectativa era de que a Selic encerrasse 2024 em 9,5%. Contudo, diante de um panorama inflacionário mais favorável e o início do ciclo de redução de juros nos Estados Unidos e outras grandes economias, o banco agora projeta a Selic em 8,5% ao final de 2024 e em 7,5% em 2025.

Projeção de IPCA e Impacto das Commodities

Para o IPCA de 2024, o Santander revisou sua projeção de 3,9% para 3,4%, creditando a expectativa de preços mais baixos das commodities agrícolas e industriais como um fator chave para a contenção da inflação. A instituição alerta, porém, para os riscos de alta na inflação, incluindo o mercado de trabalho tensionado, ajustes no salário mínimo acima da inflação e incertezas geopolíticas.

Quanto ao Produto Interno Bruto (PIB), o Santander elevou sua estimativa de crescimento de 1,2% para 1,5% em 2024, aproximando-se do consenso de mercado. O banco atribui essa perspectiva mais otimista ao aumento dos gastos das famílias, impulsionados por um cenário de emprego favorável, e ao incremento nos gastos governamentais, incluindo o pagamento de precatórios e medidas parafiscais que devem estimular a demanda interna.

Leia mais  Em queda livre: Ibovespa cai para os 95 mil pontos graças à "investidores medrosos"
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre com queda novamente e Eletrobras inicia em alta

Paola Rocha Schwartz

Investidores e Gestores perdem otimismo em relação ao Brasil

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa cai pelo sexto dia consecutivo

Rodrigo Mahbub Santana

Produção da VALE3 potencialmente influencia humor do Ibovespa

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa abre com alta de 0,05%, atingindo 124.448,58 pontos

Paola Rocha Schwartz

Governo entregou LDO de 2025 com previsão de déficit zero

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário