Guia do Investidor
mudancas climaticas
Notícias

Fundo Global de Mudança Climática da Templeton chega ao Brasil

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Guide distribuirá o fundo para pessoas físicas e a Rio Bravo para investidores institucionais

A Guide Investimentos e a Rio Bravo Investimentos trazem com exclusividade para o Brasil o Fundo Global de Mudanças Climáticas da Franklin Templeton – Templeton Global Climate Change, um fundo global de ações, com mais de 30 anos de existência, que investe em empresas que fornecem soluções para mitigar e se adaptar às mudanças climáticas. O fundo tem patrimônio líquido da ordem de 1 bilhão de euros e faz parte das estratégias com a temática ESG da Franklin Templeton, gestora com mais de 1,5 trilhão de dólares sob gestão em diversas estratégias.

Templeton Global Climate Change

O Templeton Global Climate Change concentra suas atenções em três tipos de empresas – aquelas que desenvolvem produtos que ajudam a reduzir as emissões, as que reduziram significativamente a exposição ao risco da mudança climática e as que estão fazendo a transição de seus negócios para se tornarem mais sustentáveis. Todas elas têm de estar adequadas às métricas ESG (meio ambiente, responsabilidade social e governança), com critério de exclusão para determinadas indústrias.

A Rio Bravo Investimentos será a gestora dos veículos que acessarão o fundo no exterior, fazendo também a distribuição para investidores institucionais, enquanto a Guide Investimentos será a distribuidora para pessoas físicas.

De acordo com o gestor da estratégia, Craig Cameron, da equipe de ações globais da Franklin Templeton, nos últimos anos houve um progresso acelerado na luta contra a mudança climática, com países em todo o mundo se comprometendo com uma descarbonização mais agressiva.

“Se quisermos limitar o aumento de temperatura média a 1,5º C acima do nível pré-industrial, muito terá de mudar e rapidamente. Com a mudança, vem a oportunidade. O impacto da mudança climática já está criando vencedores e perdedores em todas os setores e, como investidores, utilizamos nosso tempo nos concentrando na estruturação do fundo para nos beneficiarmos das oportunidades”.

O fundo é administrado por uma equipe experiente e especializada, que conta com mais de 40 analistas globais atentos aos processos de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Preocupação com sustentabilidade

O que os investidores estão percebendo com o passar do tempo e com o aumento da quantidade de dados para análise é que investir em empresas que seguem os princípios ESG é um bom negócio. “É inteligente do ponto de vista financeiro. Nos Estados Unidos e na Europa empresas que seguem os princípios de sustentabilidade registram melhora nos resultados operacionais e na performance financeira”, afirma Daniel Sandoval, diretor Comercial e de Soluções de Investimento da Rio Bravo.

Já Nelson Muscari, coordenador de fundos da Guide, destaca que com as questões climáticas cada vez mais na pauta das discussões globais, a demanda por produtos com o selo ESG tem aumentado. “A procura por aplicações que não tenham foco somente no retorno, mas também na contribuição para a sociedade como um todo, cresceu bastante recentemente”, diz. “Além disso, esse é um movimento que tem se acentuado cada vez mais em países desenvolvidos, e consequentemente isso vai chegar no Brasil”, completa.

Informações sobre o Fundo

  • Taxa de Administração e Gestão: 0,70% a.a. sobre o Patrimônio Líquido
  • Aplicação Mínima: R$ 100,00
  • Público-alvo: Investidores Qualificados
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Itaú lança Carteira Automatizada de Fundos Imobiliários

Guia do Investidor

Breaking: Banco Safra compra a Guide Investimentos

Guia do Investidor

Fundos de investimento têm resgates líquidos de R$ 127,9 bi em 2023

Guia do Investidor

Fundos registram entradas líquidas de R$ 10,8 bilhões

Guia do Investidor

B3 integra a nova carteira de 14 índices em 2024

Guia do Investidor

Investimento de impacto social X Filantropia: qual a diferença entre as duas modalidades?

Guia do Investidor

Deixe seu comentário