Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Uber vai sair do Brasil? Governo quer regulamentar transporte por aplicativo

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Governo Federal instala grupo de trabalho para discutir regulamentação do trabalho por aplicativo; demandas incluem férias e 13º salário.

O Governo Federal deu início às discussões sobre a regulamentação do trabalho por aplicativo, reunindo representantes do governo, centrais sindicais e empregadores em um Grupo de Trabalho (GT).

A proposta de regulamentação pode ser apresentada ao Congresso Nacional no segundo semestre de 2023. Cerca de 1,5 milhão de pessoas atuam como motoristas ou entregadores de aplicativos no Brasil, e suas demandas incluem benefícios como férias e 13º salário.

O GT terá 150 dias para apresentar propostas, e o equilíbrio entre o lucro das empresas e a valorização do trabalho é um ponto importante a ser observado. O objetivo é garantir direitos fundamentais aos trabalhadores e uma legislação que atenda às necessidades do setor.

Governo Federal cria grupo de trabalho para discutir regulamentação do trabalho por aplicativo e atender demandas dos trabalhadores

O Governo Federal deu um importante passo em direção à regulamentação do trabalho por aplicativo ao instalar o Grupo de Trabalho (GT) responsável por discutir as relações trabalhistas nesse setor.

Leia mais  Incorporadoras podem respirar após alterações em "Casa Verde Amarela"

O GT conta com a participação de representantes do governo, centrais sindicais e empregadores, e tem como objetivo encontrar soluções que atendam tanto às demandas dos trabalhadores quanto às necessidades das empresas.

Durante o lançamento do GT, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, destacou a possibilidade de apresentar uma proposta sobre o assunto ao Congresso Nacional no segundo semestre de 2023.

Ele ressaltou a importância de um equilíbrio entre o lucro das empresas e a valorização do trabalho, enfatizando que é preciso evitar uma superexploração dos trabalhadores em prol do lucro.

No Brasil, estima-se que cerca de 1,5 milhão de pessoas atuem como motoristas ou entregadores por aplicativos. As demandas desses trabalhadores incluem benefícios como férias, 13º salário e regime de folgas. Além disso, os sindicatos também estão buscando a inclusão dos motoristas por aplicativos na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) das empresas, o que poderia trazer mais reconhecimento e proteção para esses profissionais.

O GT terá um prazo de 150 dias para apresentar propostas de resoluções, e esse prazo pode ser prorrogado por igual período. A próxima reunião, marcada para o dia 19, será uma oportunidade para que as organizações de trabalhadores e empresas apresentem suas pautas e necessidades.

Leia mais  A irresponsabilidade de volta à Petrobras

Segundo dados do Ministério do Trabalho, o número de trabalhadores por aplicativo aumentou quase 55% entre 2012 e 2021. No entanto, apenas 18,2% desses trabalhadores contribuem para a Previdência Social, evidenciando a importância de regulamentar essa forma de trabalho e garantir direitos fundamentais aos profissionais do setor.

A expectativa é que o GT promova discussões produtivas e encontre soluções que beneficiem tanto os trabalhadores quanto as empresas envolvidas nesse tipo de atividade.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais  Por que o governo privatiza suas estatais? Entenda agora

Leia mais

Governo deve receber “ajuda” de R$ 20 bilhões da Petrobras

Márcia Alves

Desaprovação de Lula aumenta e atinge pior índice histórico

Paola Rocha Schwartz

Lula discute revisão de gastos em reunião com ministros hoje

Paola Rocha Schwartz

Após suspeitas de fraude, leilão de arroz tem nova data

Márcia Alves

Produtora de filiado ao PT captou R$ 3 milhões da Petrobras

Paola Rocha Schwartz

Dólar atinge R$ 5,42 em disparada no mercado financeiro

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário