Guia do Investidor
Recomendacoes GDI
Recomendações

Vale, Gerdau ou Suzano? Qual a melhor ação de commoditie para comprar hoje?

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Nos últimos dias, o mercado financeiro tem demonstrado um crescente otimismo em relação às ações de commodities, impulsionado por revisões positivas nas projeções para o preço do minério de ferro. O interesse renovado em empresas do setor está refletindo em uma maior posição de investidores institucionais. Neste artigo, exploraremos as perspectivas para várias áreas do mercado de commodities, incluindo mineração, siderurgia, papel & celulose, agronegócio e petróleo & gás.

Mineração: Vale à Frente do Jogo

No setor de mineração, a Vale (VALE3) tem sido a empresa preferida entre os investidores. O recente impulso nos preços do minério de ferro levou a um otimismo renovado em relação a essa commodity. A produção de aço na China se mantém resiliente, os estoques de ferro nos portos chineses estão baixos, e medidas de estímulo anunciadas no país estão impulsionando os setores de infraestrutura e imobiliário. Além disso, os embarques de minério de ferro do Brasil e da Austrália para a China estão restritos.

No entanto, embora os investidores tenham mostrado otimismo, muitos ainda não têm uma exposição significativa à Vale em seus portfólios. Embora a Vale represente cerca de 15% do índice Ibovespa, a maioria dos investidores está abaixo dessa proporção.

Siderurgia: Desafios Persistem

No segmento de siderurgia, a perspectiva é mais pessimista devido ao aumento das exportações de aço chinês nos próximos meses, que pode prejudicar a recuperação dos preços globais do aço. A demanda doméstica por aço também não apresenta um cenário muito animador, mesmo olhando para 2024. O atual cenário competitivo para os produtores brasileiros é outro desafio, devido à importação de aço.

A Gerdau (GGBR4) tem sido usada como um meio de financiamento para que os investidores aumentem sua exposição ao setor de mineração, dada sua menor volatilidade.

Papel & Celulose: Desafios na Percepção

No setor de papel & celulose, o interesse tem sido limitado, com a maioria dos investidores questionando os catalisadores para os nomes deste segmento. Muitos acreditam que os preços da celulose atingiram o pico deste ciclo e estão preocupados com correções de preços futuras em 2024, à medida que o projeto Cerrado se aproxima. A Suzano (SUZB3) é vista de forma positiva, e investidores consideram operações de pares favorecendo a Suzano em relação à Klabin (KLBN11), devido ao desempenho superior desta última.

Agronegócio: Rumo Continua na Preferência

No setor de agronegócio, a Rumo (RAIL3) continua sendo a preferência entre os investidores. No entanto, há preocupações crescentes em relação aos problemas de calado enfrentados pela Hidrovias do Brasil (HBSA3), levando alguns a considerar que esses problemas podem se tornar a norma, aumentando a percepção de risco no setor. A segunda safra de milho está sob escrutínio devido a problemas climáticos recentes.

Petróleo & Gás: PRIO Mantém sua Atratividade

Na área de petróleo & gás, a maioria dos investidores demonstra cautela em relação aos preços do petróleo. A PRIO (PRIO3) continua sendo a ação preferida, apesar das preocupações sobre o plano de investimentos da Petrobras (PETR4) e seu impacto nos dividendos futuros. A Enauta (ENAT3) também está ganhando interesse entre os investidores.

Tabela de Recomendações:

SetorEmpresaRecomendação
MineraçãoVale (VALE3)Compra
SiderurgiaGerdau (GGBR4)Compra
Papel & CeluloseSuzano (SUZB3)Compra
AgronegócioRumo (RAIL3)Compra
Petróleo & GásPRIO (PRIO3)Compra

Em resumo, o mercado de commodities está passando por um período de otimismo, com investidores demonstrando interesse em empresas como Vale, Suzano e PRIO. No entanto, desafios persistem em setores como siderurgia e papel & celulose, enquanto o agronegócio enfrenta incertezas devido a problemas climáticos recentes. A cautela também está presente no setor de petróleo & gás, mas a PRIO permanece como uma escolha atraente para os investidores.

Você quer começar a investir na bolsa de valores?

Você possui o desejo de começar sua carreira como investidor? Apesar de parecer complicado, se tornar um “frequentador” da bolsa de valores é mais fácil do que você imagina!

Aqui no Guia do Investidor, nós oferecemos uma ampla seleção de análises, recomendações e indicações de preços-alvo para as principais ações e ativos da bolsa de valores brasileira para você começar a entender todos os caminhos que separam você dos grandes lucros! Nossa equipe de especialistas está sempre atenta ao mercado, identificando as melhores opções e recomendações para você ampliar e diversificar sua carteira.

Se você não sabe por onde começar, pode seguir as 5 dicas que selecionamos para você dar seus primeiros passos na bolsa de valores:

Entendemos que cada investidor tem suas próprias metas e tolerância ao risco. Por isso, oferecemos uma variedade de recomendações que se enquadram em diferentes perfis e objetivos. Seja você um investidor conservador, moderado ou agressivo, encontrará em nosso site análises detalhadas e recomendações fundamentadas para auxiliar em suas decisões de investimento.

Além disso, sabemos que o mercado financeiro é dinâmico e as oportunidades podem surgir a qualquer momento. Por isso, atualizamos constantemente nossas recomendações para que você possa aproveitar as melhores oportunidades assim que elas aparecem.

Para conferir as últimas análises e recomendações do mercado, basta clicar aqui.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Commodities: Preço do Cacau atinge recorde histórico

Mateus Sousa

Previsão de preços para commodities agrícolas em 2024 e retrospectiva 2023

Autor Convidado

Conheça 4 opções para começar no mercado de investimentos

Autor Convidado

Brasil pode produzir até 240 bilhões de litros de óleo de palma por ano e se tornar líder global no segmento

Guia do Investidor

Finteria apresenta uma nova plataforma de negociação

Guia do Investidor

Medida Provisória 1.152/2022 impactará setor de commodities, diz KPMG

Fernando Américo

Deixe seu comentário