Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

A Midea não quer saber mais da Electrolux

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Midea Group interrompe aquisição da Electrolux devido à falta de receptividade e demandas não atendidas.

O gigante chinês de eletrodomésticos Midea Group anunciou que abandonou suas tentativas de adquirir a fabricante sueca Electrolux, após perceber que a última não estava receptiva a um acordo.

Segundo fontes próximas ao assunto, o Midea Group não conseguiu cumprir todas as demandas estabelecidas pela Electrolux e seu principal acionista, a Investor.

A Investor, um veículo de investimento da rica família Wallenberg, detém uma participação significativa na Electrolux. As discussões entre as duas empresas giravam em torno de preços, regulamentações e garantias, mas não conseguiram avançar positivamente devido a diversas preocupações.

Desafios Regulatórios e Divergências em Termos Barram Tentativa de Aquisição da Electrolux pelo Grupo Chinês Midea

O Midea Group, um conglomerado chinês especializado em eletrodomésticos, retirou-se das negociações para a aquisição da Electrolux, uma fabricante sueca de eletrodomésticos, depois de enfrentar diversos desafios, incluindo desacordos sobre termos e preocupações regulatórias.

Leia mais  Enauta aprova emissão de debêntures no valor de R$ 1,1 bilhão para impulsionar projetos estratégicos

Segundo fontes que optaram por permanecer anônimas, o Midea Group não conseguiu atender às demandas impostas pela Electrolux e seu principal acionista, a Investor. A Electrolux e a Investor buscavam garantias sobre preços, questões regulatórias, empregos, governança e estratégia, em meio a um clima de crescentes medidas protecionistas na Europa e nos Estados Unidos. A Investor, um veículo de investimento controlado pela família Wallenberg, possui uma participação de aproximadamente 18% na Electrolux e 30% dos direitos de voto.

As ações da Electrolux experimentaram um aumento em maio, quando os rumores de uma possível aquisição pela Midea surgiram. No entanto, as ações caíram significativamente após o anúncio da desistência por parte da Midea.

A Midea, com sede em Foshan, província de Guangdong, na China, tem experiência em aquisições internacionais, como exemplificado pela compra da unidade de eletrodomésticos da Toshiba em 2016 e a aquisição da fabricante de robôs alemã Kuka em 2017.

Contudo, foi sugerido que o governo italiano poderia ter intervindo na tentativa de aquisição da Electrolux pelo grupo chinês, visto que a Electrolux tem uma grande presença na Itália.

Leia mais  Gafisa (GFSA3) alcança R$ 617 milhões de vendas brutas no 1S23 - maior volume dos últimos 5 anos

Embora os planos de aquisição estejam congelados no momento, fontes afirmam que a Midea tem interesse de longa data na Electrolux e que não pode ser descartada a possibilidade de uma futura tentativa de aquisição.

A Electrolux, por sua vez, está atualmente passando por um processo de reestruturação, com planos de demitir 3.800 funcionários, enquanto busca cortar custos e reabilitar seus negócios na América do Norte.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Número de empresas pedindo recuperação judicial é o maior em 6 anos

Márcia Alves

Moody’s revisa Rating da Jalles Machado: Destaques e Desafios

Rodrigo Mahbub Santana

Irani realiza o terceiro Programa de Recompra de Ações

Fernando Américo

China é acusada de fraudar biocombustíveis

Rodrigo Mahbub Santana

Mills adquire JM, visando alcance e diversificação

Rodrigo Mahbub Santana

Pedidos de Recuperação Judicial disparam 94,7% em Março

Márcia Alves

Deixe seu comentário