Guia do Investidor
Drex o Real Digital brasileiro Easy Resize.com
Colunistas Criptomoedas

Drex e sua importância para o mercado de cripto no Brasil

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Nos últimos anos, o uso de dinheiro físico tem diminuído consideravelmente. Conforme novas tecnologias e a conveniência evoluem, cada vez mais consumidores estão optando por formas eletrônicas de pagamento, como cartões de crédito e transferências bancárias.

De acordo com o estudo Evolução de Meios Digitais para a Realização de Transações de Pagamento no Brasil, realizado pelo Banco Central (BC), o número de saques de dinheiro em caixas eletrônicos caiu 16% entre 2021 e 2022, enquanto o uso do celular para a realização de transações financeiras saltou de 9% em 2016 para 79% em 2022.

Com o crescimento exponencial do mercado de criptoativos no Brasil, o Drex, nome dado ao Real Digital, surge como uma alternativa junto a essa transformação, prometendo proporcionar maior segurança jurídica e mais privacidade no compartilhamento de dados pessoais, além de diversos outros benefícios da tecnologia blockchain.

O que é o Drex?

Classificado como CBDC (Moeda Digital de Banco Central), o Drex, também chamado de Real Digital, é uma versão virtual do papel-moeda brasileiro. Ele visa preservar as características essenciais do dinheiro físico, como sua estabilidade e função como meio de troca, mas incorpora os benefícios tecnológicos das criptomoedas.

Os principais objetivos do real digital são simplificar as transações financeiras, mitigar riscos de fraudes e diminuir os custos associados à produção de papel-moeda, ao mesmo tempo em que amplia a segurança e promove um ambiente propício à inovação.

Leia mais  Créditos de carbono: dúvidas sobre a regulamentação

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

O Drex é uma criptomoeda?

O Drex está sendo desenvolvido em uma plataforma digital que utilizará a tecnologia DLT (Distributed Ledger Technology), como a blockchain do Bitcoin. Porém, ele não se enquadra como uma criptomoeda, com a principal diferença residindo na emissão e no controle.

As CBDCs são emissões digitais de moeda regulamentadas por bancos centrais, com paridade em relação à moeda nacional. Elas visam modernizar sistemas de pagamento, impulsionar a inclusão financeira e permitir uma implementação mais eficaz de políticas monetárias.

Por outro lado, as criptomoedas são formas de moeda digital descentralizada, operando em redes peer-to-peer sem necessidade de intermediários. Elas englobam diversas moedas digitais, cada uma com finalidades específicas, como o Bitcoin, utilizado como reserva de valor, e o Ethereum, como plataforma para contratos inteligentes.

Leia mais  Corretora de criptomoedas alerta clientes para retirar fundos da plataforma

A importância do Drex para o mercado de criptoativos no Brasil

O advento do Real Digital representa uma evolução notável para o mercado de criptoativos no País, redefinindo a maneira como as transações e interações financeiras ocorrem no Brasil. O Drex pode promover uma maior inclusão, permitindo que um número maior de pessoas acesse serviços financeiros por meio de smartphones e dispositivos digitais.

Além disso, com a utilização da tecnologia blockchain, poderá ser notada uma redução nos riscos de fraude e manipulação. Isso, por sua vez, deve aumentar a confiança dos investidores e incentivar uma participação mais ampla no mercado de criptoativos.

Ao integrar o Drex no ecossistema de criptomoedas, o Brasil também pode atrair investimentos estrangeiros e fomentar a inovação tecnológica local. A tokenização do real pode facilitar a criação de novos ativos digitais lastreados na moeda nacional, como stablecoins, por exemplo.

Através da emissão de stablecoins lastreadas no Real Digital, é possível mitigar a volatilidade comum das criptomoedas, criando um ambiente propício para adoção em larga escala e servindo como uma porta de entrada para os iniciantes no mercado de criptoativos.

Expectativas para a moeda

De acordo com o estudo do Atlantic Council dos Estados Unidos, 130 países já estão explorando a criação de moedas digitais de seus respectivos bancos centrais. Além disso, 19 nações do G20 estão em estágios avançados de desenvolvimento. Entre eles, nove já estão testando moedas piloto.

O Drex representa um grande avanço na busca do Brasil por um sistema financeiro mais moderno, inclusivo e eficiente. Ao combinar a estabilidade do real com os benefícios da tecnologia blockchain, o Real Digital tem o potencial de redefinir a maneira como os brasileiros lidam com o dinheiro e como o país participa da economia global.

Leia mais  Empresa de auditoria que serviu a Donald Trump irá auditar provas de reservas da Binance

Porém, a implementação bem-sucedida requer uma abordagem colaborativa entre os setores público e privado, com regulamentações claras e estruturas de segurança robustas. Além disso, a educação financeira e digital deve acompanhar sua introdução, capacitando as pessoas a compreenderem e utilizarem essa nova forma de moeda.

À medida que essa jornada se desenrola, é essencial considerar as oportunidades e os desafios que o Drex traz consigo, assegurando que o futuro financeiro do Brasil seja construído sobre uma base sólida de inovação e inclusão, beneficiando tanto os cidadãos quanto a economia como um todo.

Por César Felix, gerente de Customer Experience da NovaDAX uma das maiores exchanges brasileiras que oferece serviços relacionados a criptoativos de alta liquidez, taxas baixas e alta proteção para os seus mais de 1.1 milhão de clientes.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Irani realiza o terceiro Programa de Recompra de Ações

Fernando Américo

Mercado de capitais registra captação recorde no 1º quadrimestre

Fernando Américo

Monitor do PIB-FGV aponta alta de 0,7% no primeiro trimestre

Fernando Américo

IGP-10 sobe 1,08% em maio

Fernando Américo

BEEF3: Ações da Minerva disparam na Bolsa

Márcia Alves

Brasil terá maior imposto de importação do mundo, diz Aliexpress

Márcia Alves

Deixe seu comentário