Guia do Investidor
uso de smartphone e celular050720211245
Notícias

Drex: o que dá pra fazer com o “real digital”?

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Especialista comenta criação de novos serviços e necessidade de adaptação tecnológica em 2024.

Assim como o Pix revolucionou os meios de pagamento no Brasil, há grandes expectativas em relação ao lançamento do Drex, moeda digital do Banco Central prevista para o final de 2024. Uma pesquisa conduzida pela PwC Brasil aponta que 83% dos executivos acreditam que os ativos digitais, como o Drex, terão impacto disruptivo no país.

O Drex será operado exclusivamente pela plataforma homônima pertencente ao Banco Central. A emissão será realizada pelo BC para o atacado e pelas instituições autorizadas para o varejo. Diferente de serviços financeiros atuais, ele viabilizará o condicionamento de transações a requisitos acordados entre as partes, por meio de contratos inteligentes.

Leia mais  PL que pode limitar uso de dinheiro vivo avança na Câmara dos Deputados

Segundo Cristiano Maschio, especialista em pagamentos e CEO da fintech Qesh, a moeda digital trará diversos benefícios aos empreendedores: “Eles poderão experimentar acesso a novos mercados e clientes, redução de custos com taxas de transação, além de maior eficiência e segurança em operações online”.

Maschio explica que o Drex é um ativo digital baseado em tecnologia de razão distribuída (DLT): “Em síntese, funciona como banco de dados compartilhado, em que pessoas podem adicionar e rastrear transações sem a necessidade de intermediários. Nesse modelo, a automação das transações e gerenciamento de riscos reduzem a dependência da confiança mútua”.

Oportunidades no varejo

Segundo Maschio, o Drex abre caminho para a transformação das negociações entre agentes do mercado. O especialista destaca alguns exemplos:

1. Pagamentos interconectados: A introdução do Drex incentiva um ecossistema de pagamentos interconectado, permitindo transições entre compras online e offline, além de facilitar parcerias entre varejistas e provedores de serviços financeiros para oferecer soluções unificadas aos consumidores.

2. Integração de recursos: A adoção também impulsiona a criação de plataformas que integram recursos financeiros digitais, como programas de cashback, investimentos automatizados e gestão financeira, proporcionando uma experiência mais completa.

Leia mais  Real deve se desvalorizar em relação ao dólar até o fim de 2023, prevê Capital Economics

3. Personalização de ofertas: Varejistas podem coletar dados financeiros dos clientes de forma mais eficiente, possibilitando a personalização de ofertas com base no histórico de transações, comportamento de compra e preferências, aumentando a relevância das promoções.
 

Desafios da implementação nos negócios

No entanto, a adoção do Drex como forma de transação no varejo traz alguns obstáculos, como pontua Maschio:

1. Adaptação tecnológica: É necessário se adaptar tecnologicamente para aceitar as novas transações digitais. Isso envolve investimentos em infraestrutura e treinamento de pessoal, além da adequação regulatória.

2. Riscos de segurança: A segurança cibernética é outra preocupação. O varejo deve implementar medidas robustas para proteger informações financeiras dos clientes e evitar fraudes, aumentando assim a complexidade das operações e os investimentos em segurança digital.

3. Educação do consumidor: A falta de compreensão sobre transações digitais pode levar a adoção mais lenta, exigindo esforços de marketing e conscientização sobre o uso e benefícios do Drex.

“O impacto do Drex é iminente e transformador. Investir em tecnologia para implementá-lo otimiza processos internos e mantém a empresa competitiva no mercado. Caso contrário, organizações despreparadas podem enfrentar prejuízos à reputação, incluindo insatisfação do cliente, vazamento de dados e possíveis multas regulatórias”, ressalta o executivo.

Leia mais  Real Digital: Banco Central anuncia que moeda digital não será destinada ao uso direto pela população

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Real registra o pior desempenho entre as moedas emergentes

Paola Rocha Schwartz

Dólar inicia o dia em queda com expectativas de medidas econômicas

Miguel Gonçalves

A desvalorização do peso deixa o brasileiro “mais rico” na Argentina?

Guia do Investidor

DREX: Descubra como os “bancões” estão se preparando para a chegada do Real Digital

Leonardo Bruno

Banco BS2 realiza primeira transação de Drex

Guia do Investidor

Drex e sua importância para o mercado de cripto no Brasil

Autor Convidado

Deixe seu comentário