Guia do Investidor
haddad lula 960x603 1
Notícias

Governo planeja descontos de até 80% em dívidas de IR e CSLL

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva, planeja oferecer descontos de até 80% nas dívidas de IRPJ e CSLL. Resultantes do abatimento, contudo, na base de cálculo dos tributos, de subvenções para custeio concedidas por governos estaduais.

Empresas que usufruíram desses benefícios poderão aderir a um programa de “autorregularização” junto à Receita Federal, conforme o jornal Valor Econômico. No entanto, uma instrução normativa sobre o assunto será publicada no Diário Oficial da União na quarta-feira, com o programa previsto para iniciar em 10 de abril.

As empresas, contudo, têm até 30 de abril para aderir ao programa para o período até 2022, com declarações retificadoras permitidas até 31 de maio. Portanto, para 2023, o prazo vai de 10 de abril a 31 de julho.

Leia mais  Ministros buscam saída honrosa para Haddad em debate sobre meta

Dessa forma, as empresas interessadas devem preencher um formulário no portal e-CAC, indicando o valor a ser regularizado. O desconto de 80% será concedido para parcelamento em até 12 vezes. Opções incluem entrada em cinco prestações e saldo em 60 vezes (desconto de 50%) ou 84 vezes (desconto de 35%).

O governo afirma que esta será a última oportunidade para a regularização dessas dívidas. Assim, após 31 de maio, empresas não regularizadas estarão sujeitas a fiscalizações, com multa inicial de 75%.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, defendeu no ano passado que empresas deixassem de abater subvenções estaduais de suas bases de cálculo do IRPJ e da CSLL. O uso excessivo desses benefícios reduziu a base tributável em R$ 149 bilhões em 2022 e cerca de R$ 200 bilhões em 2023. A questão foi abordada na Medida Provisória (MPV) 1185, que foi convertida na Lei nº 14.879, e algumas empresas contestaram judicialmente a nova legislação.

Governo Lula mantém projeção de alta do PIB em 2,2%

O Governo segue otimista sobre as projeções SPE.

Em boletim divulgado nesta quinta-feira (21), o SPE deixou inalterada em 2,2% sua projeção para o crescimento econômico do Brasil em 2024.

Leia mais  Haddad afirma que há espaço para redução da taxa de juros no Brasil

De acordo com informações, as projeções SPE seguem mais otimistas que as do mercado, que apostam em uma alta do PIB de 1,8% neste ano e 2,0% em 2025. No ano de 2023, o PIB brasileiro cresceu 2,9%, ajudado por uma safra recorde de grãos e forte resultado das indústrias extrativas, com destaque para petróleo e minério de ferro.

As previsões para a atividade permanecem, mas houve revisão nas estimativas do PIB por setor: agropecuária recua, enquanto serviços e indústria avançam.

“O setor de industria deve ser impulsionado pela recuperação da produção manufatureira e da construção, com reflexo nos investimentos pela ótica da demanda”, disse SPE em nota, enfatizando que o crescimento de 2024 deve ser mais equilibrado.

O que ainda se espera é uma alta de 2,5% do PIB de 2026 em diante, enfatizando que para sustentar esse ritmo de expansão, vão ser fundamentais as medidas que vêm sendo promovidas pelo governo.

A SPE vai atualizar dados, orientando o governo Lula sobre revisões estimadas para receitas e despesas, considerando o desempenho econômico para cumprir as regras fiscais.

Leia mais  2º Turno terá disputa da Corrupção X Neoliberalismo
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Haddad muda meta fiscal para 2025 e Mercado reage

Rodrigo Mahbub Santana

BB e Petrobras: Estatais lucram 24% menos no Governo Lula

Paola Rocha Schwartz

Popularidade de Lula apresenta queda em quatro estados

Paola Rocha Schwartz

Governo Lula dá “calote” no transporte escolar à prefeituras

Márcia Alves

Governo Lula reduz verba para bolsas, saúde e educação básica

Paola Rocha Schwartz

Incertezas na Petrobras: acionistas em alerta

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário