Guia do Investidor
privatizacao eletrobras
Notícias

Região Sudeste atinge sozinha 9,1 GW de potência instalada

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Potencial, gargalos e tendências do setor, inclusive, serão debatidos pelos principais representantes da GD no 22º Fórum GD – Região Sudeste na primeira semana de março, em São Paulo.

A geração de energia através da micro e minigeração distribuída não para de crescer no Brasil. O último levantamento criado pelo Portal Brasil Solar, no sistema SIGA, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), destaca que a produção da própria energia pelo consumidor alcançou a marca de 27 GW na última semana, sendo a região sudeste sozinha responsável por 9,1 GW desta produção. 

Com 1668 municípios envolvidos, os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo se mostram engajados na produção renovável de energia. Assim como possuem na energia solar fotovoltaica o maior número de instalações até o momento, sendo a residencial líder no segmento. 

Leia mais  Brasil fecha primeiro trimestre com maior demanda por energia elétrica, aponta CCEE

Ainda segundo os dados extraídos, São Paulo e Minas Gerais continuam competindo pela liderança no ranking nacional, onde 3,76 GW e 3,67 GW são produzidos respectivamente pelos dois estados. O estado paulista, no entanto, fica na frente por poucos kW computados pela ANEEL. 

Dos motivos para o crescimento

A geração distribuída, no entanto, pode ter na redução do custo dos equipamentos, bem na conscientização por uma fonte mais sustentável, seus principais motivos de crescimento no Brasil

Segundo a ANEEL, por exemplo, o setor de energia solar cresceu mais de 144% nos últimos anos e todo esse crescimento, no entanto, pode estar relacionado a redução de preços dos painéis solares.

Segundo a consultoria do mercado fotovoltaico, Greener, o preço médio desse tipo de painel caiu mais de 40% em 2023, o que ajudou a manter o mercado aquecido, mesmo com mudanças na legislação, como a entrada em vigor da cobrança pelo uso da rede de distribuição, e o período pós-eleitoral. 

Além da economia na conta de energia elétrica, o consumidor encontrou uma forma de investir mais em uma fonte renovável de energia, bem como um payback mais vantajoso, ou seja, um período para recuperar o valor do investimento menor.

“Estamos analisando um cenário no qual o consumidor está buscando alternativas para fugir da elevada tarifa de energia, da queda no preço de equipamentos fotovoltaicos e a redução de juros, além da oferta de crédito e demais regulamentações. Então o resultado é maior procura por energias renováveis, que unem sustentabilidade e economia, sendo um ótimo investimento para os que aderem e oportunidade de negócio para os envolvidos”, pontua Tiago Fraga, CEO do Grupo FRG Mídias & Eventos, organizadora do 22º Fórum Regional de Geração Distribuída da Região Sudeste – Fórum GD Sudeste. 

O tema sobre crescimento da GD na região e também seus gargalos e novas tecnologias, inclusive, será um dos debatidos durante o evento, que acontecerá na próxima semana em São Paulo. 

Leia mais  Depois de dois meses de alta, Brasil fecha abril com estabilidade no consumo de energia, mostra CCEE

Confirmado para os dias 06 e 07 de março, o Fórum acontecerá no hotel Villa Blue Tree, no Jardim Caravelas, das 8h às 18h. Também integrará todas as cadeias econômicas do segmento GD, fornecedores, empresários, vendedores, investidores e especialistas durante os dois dias de evento. A expectativa da organização, por sua vez, é de movimentar mais de R$300 milhões em negócios. 

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Sudeste é mais de 50% da distribuição de empregos no setor de casa e decoração

Guia do Investidor

Sudeste tem gasolina mais barata do Brasil em janeiro

Guia do Investidor

Presidente da Toyota não vê eletrificação em massa: entenda

Lara Donnola

“Estamos jogando fora boa parte da produção de energia”, diz especialista

Guia do Investidor

Preço médio da energia solar cai 11% para residências no 3º trimestre do ano, aponta estudo da Solfácil

Guia do Investidor

Calor eleva consumo de energia elétrica no começo de outubro, destaca CCEE

Guia do Investidor

Deixe seu comentário