Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Toffoli suspende multa bilionária da J&F que tem esposa como advogada

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Ministro Dias Toffoli suspende multa aplicada à J&F e autoriza acesso a mensagens da Operação Spoofing, revisando acordo de leniência.

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), emitiu uma decisão impactante, suspendendo o pagamento de uma multa de R$ 10,3 bilhões imposta à J&F, conglomerado dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

A decisão também incluiu a autorização para que a empresa tenha acesso à íntegra das mensagens da Operação Spoofing, que envolve conversas entre procuradores da Lava Jato. Além disso, Toffoli permitiu que a J&F reavalie os anexos de seu acordo com a Controladoria-Geral da União (CGU). Esta decisão vem após um recurso apresentado pela J&F, desafiando a anulação de um desconto anterior na multa pelo Conselho Institucional do MPF.

Decisão do STF impacta acordo de leniência da J&F

Em uma decisão provisória, o ministro Dias Toffoli do STF suspendeu a multa de R$ 10,3 bilhões que havia sido aplicada à J&F, grupo empresarial dos irmãos Joesley e Wesley Batista. A decisão também concede à empresa acesso a mensagens trocadas por procuradores da Lava Jato, capturadas na Operação Spoofing.

Toffoli permitiu ainda que a J&F reavalie os anexos de seu acordo de leniência com a CGU, após a empresa solicitar a correção de “abusos praticados”. A decisão responde a um recurso da J&F, que contestava a anulação de um desconto na multa pelo Conselho Institucional do MPF.

Leia mais  Reforma Tributária e STF vão fazer ICMS subir em dez Estados

A esposa de Toffoli, Roberta Rangel, é advogada do grupo J&F, atuando no litígio entre a empresa e a Paper Excellence pelo controle da Eldorado Celulose. Dos quatro pedidos feitos pela J&F, Toffoli rejeitou apenas um, relacionado à suspensão da venda da Eldorado Celulose.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

O acordo de leniência, firmado em 2017, foi uma resposta aos danos causados à administração pública e aos fundos de pensão por crimes atribuídos aos executivos do grupo. Os irmãos Batista confessaram ter pago propinas a políticos e agentes públicos.

Leia mais  Futuro da Petrobras (PETR4) será decidido pelo STF

A decisão de Toffoli levanta questões sobre a voluntariedade da J&F ao firmar o acordo de leniência e a legalidade da atuação dos procuradores, além de possíveis conflitos de interesse na determinação da alienação de bens e empresas da companhia.

Irmãos Batista livres de acusações de insider trading pela CVM

Ainda no mês passado, em uma decisão aguardada pelo mercado financeiro, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) concluiu o julgamento de três processos envolvendo os irmãos Wesley e Joesley Batista, sócios da holding J&F, que controla empresas como JBS e PicPay. As acusações eram graves: uso de informação privilegiada e manipulação de mercado, relacionadas ao episódio que ficou conhecido como “Joesley Day” em 2017.

O julgamento, que começou no fim de maio, foi retomado após um pedido de vistas da diretora Flávia Perlingeiro, que votou pela condenação dos empresários. No entanto, a maioria dos diretores e o presidente da CVM já haviam se posicionado pela absolvição, o que prevaleceu na decisão final.

Os processos investigavam a compra e venda de ações da JBS e negociações de contratos de câmbio e juros, buscando determinar se houve benefício com base em informações não públicas após o anúncio do acordo de delação dos irmãos com a Procuradoria-Geral da República. A revelação do acordo e de uma conversa entre Joesley e o então presidente Michel Temer causou um terremoto no mercado, com o Ibovespa despencando e ações da JBS caindo quase 10%.

“A decisão desfaz uma injustiça, atesta o pleno funcionamento das instituições no Brasil e reafirma a integridade das operações dos executivos e empresas do grupo J&F no mercado financeiro”, disse a J&F (holding que controla JBS, Eldorado Brasil, PicPay), em nota.

A absolvição dos irmãos Batista encerra um capítulo polêmico de acusações de práticas ilícitas no mercado financeiro. A J&F celebrou a decisão como uma vitória da justiça e uma confirmação da integridade de suas operações. A decisão da CVM pode ser vista como um sinal de confiança nas instituições financeiras do país, apesar das divergências internas evidenciadas pelo voto dissonante da diretora Perlingeiro.

Leia mais  Advogado de Lula no STF: veja o que se sabe até agora

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Empresário inspirado por Musk patrocina evento com Moraes

Paola Rocha Schwartz

Governo quebra confiança fiscal: dólar e juros disparam

Rodrigo Mahbub Santana

Queda de braço: STF X Musk

Rodrigo Mahbub Santana

Flávio Dino assume no STF e promete imparcialidade

Guia do Investidor

Carla Zambelli intimada pelo STF 24h após movimento de impeachment

Guia do Investidor

Defesa de Bolsonaro requer afastamento de Moraes em investigação

Guia do Investidor

Deixe seu comentário