Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Fleury lidera altas após recomendação do Citi

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Ações da Fleury sobem 3,37% com recomendação de compra do Citi; Vamos Locação tem maior queda do dia.

No cenário volátil do mercado de ações, a empresa Fleury (#FLRY3) destacou-se positivamente ao liderar as maiores altas do Ibovespa, com um aumento de 3,37%, fechando a R$ 15,66.

Essa valorização foi impulsionada pela elevação da recomendação do banco Citi para o papel, que passou de “neutra” para “compra”, juntamente com um aumento no preço-alvo, que subiu de R$ 17 para R$ 18.

Além da Fleury, outras empresas do setor de frigoríficos também se beneficiaram do cenário favorável, impulsionado pela alta do dólar. Empresas como BRF (#BRFS3), Minerva (#BEEF3) e Marfrig (#MRFG3) registraram ganhos de 2,06%, 1,73% e 0,70%, respectivamente.

Recomendação de compra impulsiona ações da Fleury, enquanto Vamos Locação enfrenta queda significativa

No mercado de ações brasileiro, a sessão foi marcada por um desempenho majoritariamente negativo, mas com alguns destaques notáveis. A Fleury (#FLRY3) liderou as maiores altas do Ibovespa ao registrar um ganho de 3,37%, encerrando o dia a R$ 15,66. Essa valorização foi impulsionada pela elevação da recomendação do banco Citi, que mudou sua posição de “neutra” para “compra”, acompanhada de um aumento no preço-alvo, que subiu de R$ 17 para R$ 18.

Leia mais  B3 fechada e Crise do Petróleo: confira os destaques da economia nesta segunda de Carnaval

Outras empresas do setor de frigoríficos também se beneficiaram do dia favorável, impulsionado pela valorização do dólar. A BRF (#BRFS3) registrou um aumento de 2,06%, encerrando a sessão a R$ 10,40. A Minerva (#BEEF3) apresentou ganhos de 1,73%, fechando a R$ 8,23, enquanto a Marfrig (#MRFG3) teve um acréscimo de 0,70%, encerrando a R$ 7,18.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

No entanto, a maior queda do dia ficou por conta da Vamos Locação (#VAMO3), que sofreu uma desvalorização significativa de 8,41%, fechando a R$ 8,93. O setor financeiro também não teve um dia positivo, com o Banco do Brasil (#BBAS3) registrando uma queda de 0,28%, o Banco Itaú (#ITUB4) com -0,92%, e o Banco Santander (#SANB11) com -0,50%.

Leia mais  Ibovespa recua com frustração por atraso no arcabouço fiscal; NY fecha no positivo impulsionado por bancos

Mesmo com a obtenção de licença ambiental para explorar petróleo na Margem Equatorial, dentro da Bacia Potiguar, a Petrobras (#PETR3 e #PETR4) não conseguiu evitar as quedas de 1,90% e 1,50%, respectivamente, devido à queda nos preços do petróleo e à aversão ao risco que marcou o dia. A mineradora Vale (#VALE3) também encerrou a sessão em terreno negativo, com uma queda de 0,87%, cotada a R$ 66,99.

Dados econômicos americanos surpreendem e alimentam expectativas de política monetária mais restritiva

O mercado financeiro brasileiro viu o dólar ganhar força novamente em relação ao real nesta segunda-feira, seguindo a tendência internacional. Isso ocorreu em resposta aos dados recentes de atividade do setor industrial nos Estados Unidos, conhecidos como PMIs, que superaram as expectativas dos analistas.

Esses números robustos reforçaram as apostas de que o Federal Reserve (Fed), o banco central americano, pode optar por elevar as taxas de juros em mais 25 pontos-base em novembro.

De acordo com um levantamento do CME, as probabilidades de um aumento de 25 pontos-base nas taxas de juros pelo Fed em novembro aumentaram significativamente, passando de 18,3% na sexta-feira para 25,7% após a divulgação dos PMIs. O ponto mais alto foi alcançado com 30,8% de chances. Esses números indicam a crescente convicção do mercado de que medidas mais restritivas podem estar a caminho.

Leia mais  Ibovespa fecha em alta de 1,08% nesta sexta-feira

Além disso, no cenário doméstico, os investidores mantiveram uma postura cautelosa devido à agenda econômica movimentada no Congresso brasileiro nesta semana, com foco em projetos de tributação de fundos exclusivos e offshore, que podem ter impactos significativos nos mercados financeiros locais.

O dólar à vista fechou o dia com um aumento de 0,79%, cotado a R$ 5,0667, após oscilar entre R$ 5,0377 e R$ 5,0805. Enquanto isso, o dólar futuro para novembro apresentou um ganho de 0,58%, atingindo R$ 5,0855 às 17h04.

No mercado internacional, o índice DXY, que mede o desempenho do dólar em relação a uma cesta de moedas, subiu 0,78%, atingindo 106,948 pontos. O euro caiu 0,86% para US$ 1,0481, e a libra britânica recuou 0,89% para US$ 1,2091.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Fundos registram resgates líquidos de R$ 8,8 bilhões em maio

Guia do Investidor

Saída recorde de capital estrangeiro abala mercado brasileiro

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa Cai com Receios sobre Inflação nos EUA e Eleições

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa encerra em alta de 0,15% após seis dias de queda

Rodrigo Mahbub Santana

Gringos sacam R$ 4,63 bi na bolsa de valores brasileira

Márcia Alves

Crise na Bolsa de Valores? Um alerta para a economia brasileira

Autor Convidado

Deixe seu comentário