Guia do Investidor
Foto/Reprodução
Notícias

FMI Projeta: Déficit Fiscal do Brasil Persistirá Até 2026

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Revisão do FMI: O Fundo Monetário Internacional revisou para baixo as projeções fiscais do Brasil, indicando déficit até 2026.
Déficit Primário: Estima-se um déficit de 0,6% do PIB em 2024, reduzindo para 0,3% em 2025, com equilíbrio apenas previsto para 2026.

Projeções de Dívida: A dívida pública deve atingir 86,7% do PIB em 2024 e subir para 90,9% em 2026, embora mostre uma leve melhora em relação às previsões anteriores.

Comparativo Internacional: A situação do Brasil é mais grave que a de muitos países emergentes, com uma dívida apenas ligeiramente menor que a de países enfrentando crises econômicas graves, como Egito e Ucrânia.

Metodologia do FMI: O FMI inclui títulos do Tesouro detidos pelo Banco Central em suas análises, diferindo dos cálculos do governo brasileiro.

Impacto e Vigilância: As projeções impactam a percepção de risco do país por investidores e agências de classificação, com o mercado financeiro observando atentamente as respostas do governo às revisões do FMI.

Em sua mais recente publicação do Monitor Fiscal, o Fundo Monetário Internacional (FMI) ajustou negativamente as expectativas para a economia brasileira, prevendo que o país manterá seu déficit fiscal até o final do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2026. O relatório, divulgado nesta quarta-feira (17), durante as reuniões de Primavera em Washington, EUA, aponta um cenário desafiador para as finanças nacionais nos próximos anos.

Leia mais  Qual o melhor título do Tesouro Direto para se comprar em Abril?

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Conforme o novo documento, o Brasil deve registrar um déficit primário de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2024, reduzindo-se levemente para 0,3% em 2025. A expectativa de equilíbrio fiscal é projetada apenas para 2026, com previsões de superávit somente a partir de 2027.

Essa revisão ocorre após o governo brasileiro anunciar metas fiscais menos ambiciosas. Recentemente, a equipe econômica do governo Lula revisou para baixo as metas de superávit para os próximos anos, estabelecendo o objetivo de alcançar um equilíbrio fiscal em 2025 e um modesto superávit de 0,25% em 2026.

O relatório também projeta que a dívida pública bruta do Brasil aumentará, alcançando 86,7% do PIB em 2024, um aumento em relação aos 84,7% estimados para 2023. A tendência é de crescimento contínuo da dívida, que deverá chegar a 90,9% do PIB até 2026. Embora a projeção atual mostre uma melhora em relação aos números anteriores, que apontavam para uma dívida de 90,3% já em 2024, a situação do Brasil continua preocupante quando comparada à média de 70,3% do PIB prevista para os demais países emergentes neste ano.

Leia mais  Governo Lula distribui verbas secretamente para aliados políticos

Além disso, a situação fiscal do Brasil é considerada mais grave que a de outros países em situações econômicas delicadas, como Egito e Ucrânia, e apenas ligeiramente melhor que a Argentina, que enfrenta sua própria crise financeira.

“O ajuste foi feito para, à luz do aprendizado de mais de um ano nós estabelecermos uma trajetória que está completamente em linha com o que se espera no médio prazo, de estabilidade da dívida”,

Declarou Fernando Haddad, Ministro da Fazenda

O FMI utiliza uma metodologia que inclui os títulos do Tesouro Nacional detidos pelo Banco Central nas suas avaliações, o que não é prática comum em cálculos feitos pelo governo brasileiro. Isso pode contribuir para as diferenças nas análises sobre a capacidade de solvência do país.

A piora nas expectativas do FMI para a economia brasileira enfatiza os desafios que o governo atual enfrenta para estabilizar as contas públicas e gerar confiança entre investidores e agências de classificação de risco. A resposta do governo às projeções do FMI e as medidas que serão adotadas para reverter esse quadro fiscal adverso são agora observadas de perto pelo mercado financeiro e pela comunidade internacional.

Leia mais  Crime e violência custam ao Brasil 0,6 pontos do PIB

Meta Fiscal

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, confirmou nesta segunda-feira (15), planos do governo de ajustar a meta fiscal para 2025, durante entrevista ao canal de notícias do Grupo Globo. A equipe econômica liderada por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) visa agora alcançar um déficit zero para o próximo ano.

Anteriormente, a meta estabelecida era um superávit primário de 0,5% do PIB, equivalente a cerca de R$ 60 bilhões, com uma margem de tolerância de 0,25 ponto percentual para cima ou para baixo. Essa mudança indica uma nova direção na política econômica, possivelmente refletindo uma priorização de outros objetivos além do superávit primário.

Este ajuste pode ser interpretado como uma estratégia para estimular o crescimento econômico ou para enfrentar desafios específicos que requerem um aumento nos gastos públicos. A administração liderada por Luiz Inácio Lula da Silva parece adotar uma abordagem diferente em relação às metas fiscais em comparação com governos anteriores.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Déficit do Governo Lula e mais: confira o resumo do dia

Rodrigo Mahbub Santana

Déficit do Governo Lula se aproxima ao nível da pandemia

Paola Rocha Schwartz

Brasil pode ter PIB negativo no segundo semestre

Rodrigo Mahbub Santana

Governo Lula distribui verbas secretamente para aliados políticos

Rodrigo Mahbub Santana

Arroz terá selo “especial” do governo e preço máximo de R$ 4/kg

Paola Rocha Schwartz

Impactos da demissão de Prates e mais: Confira o resumo dia

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário