Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Investimento em imóveis: Como obter bons resultados no financiamento imobiliário

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O mercado imobiliário é um dos mais populares quando o assunto é investimentos. Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), de 2012 a 2022, a média anual de valorização do preço dos imóveis soma 12,2%. Entretanto, com a economia se recuperando e anunciando um corte da taxa básica de juros em 0,50%, uma alta nos investimentos em propriedades já é vista.

Mesmo com os preços sofrendo oscilações, as propriedades sempre acabam recuperando seu valor com tendência de aumento, convertendo em uma ótima oportunidade de renda..

Para Anderson Ferreira, fundador e CEO da ToodoBe, os imóveis sempre foram uma excelente forma de construção de riqueza e patrimônio e, podem ser adquiridos de diversas formas. “Um excelente começo, para quem não tem dinheiro, é através do financiamento imobiliário com moradias de leilão. Os próprios bancos oferecem uma carteira vasta de oportunidades, algumas com mais de 50% de deságio, o que permite ao comprador, fazer a portabilidade da dívida para um consórcio utilizando 100% do valor do imóvel. É um trabalho de formiguinha, mas que em médio prazo é possível construir uma carteira de propriedades e conquistar uma renda passiva”, afirma Ferreira.

Leia mais  Cinco dicas para formar renda passiva com dividendos

Sejam empreendimentos residenciais, comerciais, terrenos e loteamentos, as propriedades são, sem dúvida, a forma de investimento historicamente mais estável disponível no mercado.

Segundo Genilson Jr, head de investimentos da Conta Black, o ideal é começar com uma reserva financeira. “É importante ter um valor reservado para poder se manter por alguns meses, caso aconteça algum imprevisto. Os imóveis são investimentos que não têm uma alta liquidez, ou seja, a pessoa não consegue vender em tão pouco tempo. É importante pesquisar algum projeto dentro da região que deseja comprar o imóvel e que possa se valorizar futuramente. Vale avaliar também o plano de zoneamento daquela região. Bons negócios não são feitos na hora da venda, mas sim na hora da compra”, declara.

Apesar da popularidade e vantagens em realizar esse modelo de investimento, existem alguns pontos que precisam ser analisados. “O comprador precisa estar atento aos custos envolvidos na compra de um edifício ou casa, pois além dos valores que giram em torno de 5%, o investidor deve se atentar ao custo da venda, já que neste ato, o vendedor deve desembolsar 15% de impostos relativos ao lucro imobiliário. Escriturar em nome de Pessoa Jurídica, é uma excelente forma de diminuir esse custo para 5,9% na hora da venda. Consultar um bom contador ajuda muito na hora da tomada de decisão”, explica Ferreira sobre algumas atenções que devem ser levadas em consideração na aquisição do imóvel.

Leia mais  As 5 criptomoedas "secretas" para comprar em 2024

São inúmeras as vantagens para quem deseja começar a investir nesse modelo de negócio. O investimento em imóveis, antes restrito a um público com maior capacidade financeira, tornou-se cada vez mais popular, uma vez que há uma grande variedade de formas de se alocar dinheiro neste setor.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ações da China sobem impulsionadas por energia e imóveis

Paola Rocha Schwartz

Qual a melhor casa de análise? Ranking Melhores Casas de Análise 2024

Victor Rodrigues

Chegou a hora de investir nas empresas de saúde

Márcia Alves

Quase 25% dos microempreendedores priorizam mais o valor do que juros

Guia do Investidor

Volatilidade e preços, como proteger sua rentabilidade?

Autor Convidado

Número de investidores em renda fixa alcança 17 milhões em 2023 na B3

Guia do Investidor

Deixe seu comentário