Guia do Investidor
Foto/Reprodução Petrobras
Notícias

Alvo de corrupção, Lula quer retomar falida indústria naval brasileira

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Lula reafirma compromisso com a indústria naval brasileira em evento em Niterói, segundo O Estado de São Paulo.
  • Demissão de Jean Paul Prates da Petrobras levanta críticas por lentidão em projetos.
  • Sete Brasil enfrenta falência, com apenas 4 de 28 navios concluídos.
  • Motivações políticas nos projetos são sugeridas por Antonio Palocci.
  • Estaleiros brasileiros enfrentam falta de demanda.
  • Custos mais altos da construção naval no Brasil geram preocupações.
  • Revitalização da indústria naval é desafiadora, exigindo equilíbrio entre políticas, economia e viabilidade comercial.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o ex-presidente Lula reiterou seu compromisso com a recuperação da indústria naval brasileira em um evento recente em Niterói (RJ), enfatizando sua importância estratégica. A demissão de Jean Paul Prates, ex-presidente da Petrobras, suscitou críticas sobre a lentidão na concretização dos projetos relacionados ao setor.

Leia mais  Lula opta por aumento do preço dos combustíveis já em 1º de janeiro

O fracasso da Sete Brasil, empresa criada em 2010 para coordenar a construção de navios-sonda para o pré-sal, é emblemático dos desafios enfrentados. Dos 28 navios planejados, apenas quatro foram concluídos, enquanto a empresa enfrentava investigações de corrupção.

A reportagem também dá conta das revelações de Antonio Palocci sugerem motivações políticas por trás dos projetos, apontando para objetivos de nacionalização da indústria naval e financiamento de campanhas políticas.

A falta de demanda nos estaleiros brasileiros é um obstáculo adicional. Dos 48 estaleiros no país, seis estão desativados e nove operam sem projetos. Notavelmente, os dois maiores estaleiros, Enseada na Bahia e Atlântico Sul em Pernambuco, estão entre os inativos, representando 40% da capacidade instalada.

Embora a Petrobras seja o principal cliente, os custos mais altos da construção naval no Brasil em comparação com o exterior são uma preocupação. Lula continua a defender investimentos nacionais, apesar dos desafios evidentes.

Demissão de Prates

A Petrobras anunciou na noite da última terça-feira (14), que recebeu de seu presidente, Jean Paul Prates, um pedido ao Conselho de Administração. O pedido formalizava a vontade de Prates em se reunir com o Conselho para discutir o encerramento antecipado e negociado de seu mandato.

Leia mais  Ministro das Relações Institucionais se mostra otimista com aprovação do novo arcabouço fiscal no Congresso

Lula demitiu o presidente Jean Prates na noite neste mesmo dia. No entanto, em comunicados oficiais enviados aos investidores, a Petrobras afirmou que a saída ocorreu “a pedido” e de “forma negociada”.

Prates comunicou que, uma vez aprovado o encerramento antecipado de seu mandato, assim, ele planeja apresentar sua renúncia como membro do Conselho de Administração da Petrobras.

“Adicionalmente, o Sr. Jean Paul informou que, se e uma vez aprovado o encerramento indicado, ele pretende posteriormente apresentar sua renúncia ao cargo de membro do Conselho de Administração da Petrobras”, afirmou o comunicado.

Ainda, na terça-feira (14), Prates não participou da teleconferência com analistas sobre os resultados do primeiro trimestre. Em vez disso, ele exibiu apenas uma mensagem gravada.


Leia mais  Ex-presidente da Petrobras defende privatização da estatal
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa cai com preocupações sobre inflação e novos líderes na Petrobras

Rodrigo Mahbub Santana

Petrobras: Navio-plataforma impulsionará produção no pré-sal

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa fecha semana em queda de 0,34%

Rodrigo Mahbub Santana

Magda Chambriard assume comando da Petrobras

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa fecha em queda e Americanas adia balanço, confira o resumo dia

Rodrigo Mahbub Santana

Petrobras não tem plano de longo prazo, diz ex-CEO

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário