Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Banco BS2 realiza primeira transação de Drex

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

BS2, primeiro banco digital especializado em empresas, realizou sua primeira transferência de Drex entre carteiras da própria instituição na última quinta-feira (19). O banco optou por montar três carteiras para viabilizar uma série de testes com os tokens da moeda digital brasileira.

De acordo com a superintendente de Produto Cash do BS2, Stephany Colantonio, o banco já está plenamente capacitado a realizar transferências do ativo tokenizado com outras instituições. “Nós criamos carteiras próprias para dar agilidade aos testes, mas estamos aptos a fazer transações com os demais participantes do piloto”, afirma Colantonio. “Temos uma veia bastante inovadora e um time capacitado para operar dentro da blockchain, além de sermos super colaborativos dentro do consócio. Em breve, devemos utilizar o nó da Associação Brasileira de Bancos (ABBC) para transacionar com os demais players”, destaca. O BS2 é integrante dos testes do projeto piloto do Drex por de um consórcio liderado pela ABBC, que reúne demais instituições financeiras e empresas de outros segmentos.

Depois da primeira transação realizada com sucesso, o BS2 está na expectativa dos próximos passos que serão adotados pelo Banco Central (BC). “Temos particular interesse nos testes dos contratos inteligentes”, afirma Colantonio. Um dos focos de estudo de aplicação da moeda digital brasileira, CBDC, está no desenvolvimento das chamadas contas Escrow. “Elas permitem a liberação de movimentações financeiras apenas se algumas condições forem cumpridas. E isso deverá ser alcançado quando os contratos inteligentes forem criados no sistema do Drex”, explica a executiva.

Leia mais  Moeda digital do Brasil, Drex, pretende agilizar transações e dar mais segurança às operações financeiras

DNA inovador

O BS2 tem uma atuação de destaque em projetos conduzidos pelo Banco Central, sendo a primeira instituição homologada pelo BC a operar Pix no Brasil. Depois disso, o banco ampliou o portfólio em meios de pagamento instantâneo e passou a oferecer a modalidade de Pix Indireto, que permite que outras empresas disponibilizem a solução de pagamento instantâneo ao seu cliente final, mesmo não sendo participante direto do sistema Pix.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Drex: o que dá pra fazer com o “real digital”?

Guia do Investidor

DREX: Descubra como os “bancões” estão se preparando para a chegada do Real Digital

Leonardo Bruno

Drex e sua importância para o mercado de cripto no Brasil

Autor Convidado

Tokenização: a ponte entre criptoativos e nosso dia a dia

Titanium Asset

Banco central comemora 500 transações com Drex

Fernando Américo

DREX: entenda a nova moeda brasileira e o que muda

Guia do Investidor

Deixe seu comentário