Guia do Investidor
fachada do ministerio da economia2402221044
Agência Brasil Notícias

Ciência e Tecnologia e Educação lideram bloqueio orçamentário

Os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovações e da Educação foram as pastas com o maior volume de recursos contingenciados (bloqueados) no Orçamento de 2022, informou hoje (6) à tarde o Ministério da . Os números constam do detalhamento do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do segundo bimestre, divulgado no fim de maio.

O governo havia informado o valor total do novo bloqueio, mas a distribuição dos cortes pelos órgãos federais só foi divulgada hoje. Os novos limites de empenho (autorização de gastos) para cada ministério e órgão serão publicados em decreto no Diário Oficial da União.

Com R$ 2,5 bilhões contingenciados, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações lidera o bloqueio. Em seguida, vem o Ministério da Educação, com R$ 1,598 bilhão bloqueados. O Ministério da Saúde ocupa a terceira posição, com R$ 1,253 bilhão. Os demais órgãos tiveram cortes abaixo de R$ 1 bilhão.

Na última versão do relatório, informou-se que haveria um contingenciamento adicional de R$ 8,239 bilhões no Orçamento de 2022, mas o novo bloqueio efetivo ficou em R$ 6,965 bilhões. Isso ocorreu porque o governo bloqueou mais R$ 463 milhões de gastos discricionários (não obrigatórios) de outras pastas para recompor gastos emergenciais do Ministério da Economia, como manutenção de sistemas e pagamento de tarifas bancárias para prestação de serviços.

Leia mais  Vamos (VAMO3) anuncia aquisição da HM Empilhadeiras por R$ 150 mi

Ao mesmo tempo em que elevou o bloqueio em R$ 463 milhões, a equipe econômica usou uma reserva de R$ 1,737 bilhão destinada à reestruturação de carreiras no funcionalismo federal para diminuir o valor a ser contingenciado. Dessa forma, o bloqueio efetivo no segundo bimestre ficou em R$ 6,965 bilhões.

Bloqueio total

No fim de março, o governo havia contingenciado R$ 1,722 bilhão em emendas de relator. Com isso, o valor total bloqueado do Orçamento de 2022 chega a R$ 10,424 bilhões, sem o abatimento da reserva para a reestruturação de carreiras, e a R$ 8,687 bilhões, considerando o uso da reserva para diminuir o valor efetivo contingenciado.

Os valores não incluem um possível reajuste linear de 5% para o funcionalismo. Esse aumento custaria mais R$ 6,3 bilhões aos cofres federais e necessitaria de um contingenciamento adicional no Orçamento. A Lei de Responsabilidade Fiscal permite reajustes para repor as perdas com a inflação apenas até 30 de junho no último ano de cada mandato.

A cada dois meses, o Ministério da Economia divulga o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, documento que orienta a execução do Orçamento. Com base nas previsões de crescimento da economia, de inflação e do comportamento das receitas e das despesas, a equipe econômica determina o bloqueio necessário para cumprir as metas de déficit primário (resultado negativo das contas do governo sem os juros da dívida pública) e o teto de gastos.

Leia mais  Prévia da inflação oficial sobe para 1,14% em setembro

Confira abaixo a distribuição dos novos cortes orçamentários:

Órgãos Orçamentários Bloqueio (R$)
Presidência da República R$25.368.000
Ciência, Tecnologia e Inovações R$ 2.500.000.000
Educação R$ 1.598.095.000
Justiça e Segurança Pública R$ 117.353.000
Minas e Energia R$ 46.900.000
Relações Exteriores R$ 199.877.000
Saúde R$ 1.253.324.000
Infraestrutura R$ 199.877.000
Comunicações R$ 87.397.000
Defesa R$ 706.964.000
Desenvolvimento Regional R$ 149.833.000
Turismo R$ 36.554.000
Cidadania R$ 94.496.000
Mulher, da Família e dos Direitos Humanos R$ 9.655.000
Central do R$ 18.738.000
Valor total efetivo R$ 6.965.148.000
Reserva de contingência R$ 1.736.952.000
Valor total com reserva de contingência R$ 8.702.100.000

Fonte: Agência Brasil

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Confiança do comércio tem maior nível desde março de 2020, diz CNC

Agência Brasil

Irã apresenta pedido para ingressar no Brics

Agência Brasil

Confiança do empresário da indústria sobe 1,5 ponto em junho

Agência Brasil

Ipea: demanda por bens industriais sobe 0,9% de março pra abril

Agência Brasil

Rússia promete manter comércio de fertilizantes com Brasil

Agência Brasil

Programa Brasil Mais quer aumentar digitalização de pequenos negócios

Agência Brasil

Deixe seu comentário