Guia do Investidor
2020 09 25t121331z 1 lynxnpeg8o13a rtroptp 4 dolar abre
Notícias

Dólar dispara frente ao Real com impacto de decisões da Petrobras

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar sobe 0,96% após Petrobras desagradar mercado sem dividendos extraordinários, provocando fuga de investidores.

O dólar viu uma significativa valorização frente ao real nesta sexta-feira, desafiando a tendência de queda da moeda norte-americana no cenário internacional. Enquanto o mundo reagia positivamente a ajustes nas expectativas de emprego nos EUA, no Brasil, a decepção com a Petrobras gerou uma reação adversa. A decisão da empresa de não distribuir dividendos extraordinários, somada à queda nos preços globais de commodities, como petróleo e minério de ferro, levou a uma saída abrupta de capitais estrangeiros da bolsa brasileira. Esse movimento exacerbou a pressão sobre o câmbio, culminando em um aumento de 0,96% no valor do dólar, que fechou a R$ 4,9811. Essa dinâmica destaca a sensibilidade da moeda brasileira a movimentações internas de mercado e variações nos preços de commodities importantes.

Leia mais  Como o Coronavírus impacta a bolsa de valores?

Decisão da Petrobras e Queda de Commodities Afetam o Real

Em um dia marcado pela volatilidade no mercado de câmbio, o dólar emergiu como protagonista de uma valorização expressiva frente ao real, encerrando o pregão com alta de 0,96%, cotado a R$ 4,9811. O cenário interno brasileiro contrastou fortemente com as dinâmicas externas, onde o dólar mostrava fraqueza frente a outras moedas principais, em parte devido a ajustes nas expectativas de emprego nos Estados Unidos, que alimentaram especulações de possíveis cortes de juros pelo Federal Reserve.

A raiz da turbulência no Brasil pode ser rastreada até a Petrobras, cuja recente decisão de não prosseguir com a distribuição de dividendos extraordinários desencadeou insatisfação generalizada entre os investidores. Esta medida, percebida como negativa pelo mercado, precipitou uma retirada significativa de capitais estrangeiros da bolsa brasileira, pressionando assim o câmbio.

Adicionalmente, a queda nos preços internacionais de commodities essenciais, como petróleo e minério de ferro, exacerbou as pressões sobre o real. Essas commodities, fundamentais para a economia brasileira, quando desvalorizadas, tendem a reduzir o influxo de dólares ao país, afetando negativamente a balança comercial e, por extensão, a valorização da moeda nacional.

Leia mais  Dólar fecha em leve alta, mantendo-se acima de R$ 5

Setor Tecnológico e Incidente da Boeing Influenciam Mercado de Ações

A sessão de sexta-feira nas bolsas de Nova York refletiu a volatilidade do mercado, com os principais índices abrindo em alta motivados por dados encorajadores do relatório de emprego nos EUA, o payroll. No entanto, essa tendência positiva foi rapidamente substituída por uma correção, especialmente acentuada entre as ações do setor de tecnologia. O Nasdaq, conhecido por concentrar empresas desse setor, foi o mais afetado, registrando uma queda de 1,16%.

As empresas de tecnologia, e particularmente os fabricantes de chips, tiveram papel central nesta mudança de cenário. Após um período de ganhos significativos, estes papéis passaram por uma reavaliação por parte dos investidores, levando a uma correção nos preços. Essa tendência reforça a percepção de que, apesar do otimismo pontual gerado por indicadores econômicos favoráveis, o mercado permanece cauteloso e sujeito a ajustes rápidos diante de valorizações consideradas excessivas.

Adicionalmente, o mercado foi impactado por notícias adversas vindas da Boeing, com mais um incidente envolvendo suas aeronaves, desta vez no aeroporto de Houston, Texas. Este evento, ocorrendo apenas um dia após outro incidente em São Francisco, exacerbou as preocupações com a segurança e o desempenho operacional da empresa, pressionando ainda mais suas ações.

Leia mais  Dólar fecha em leve alta, atingindo R$ 5, à espera de indicadores econômicos dos EUA e decisões do Fed

Os movimentos nos rendimentos dos Treasuries também capturaram a atenção dos investidores, refletindo uma mistura de expectativas sobre a política monetária e a saúde econômica dos Estados Unidos. Os rendimentos apresentaram comportamento misto, indicando uma visão heterogênea sobre o futuro da economia.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda e Eletrobras inicia com sinais trocados

Paola Rocha Schwartz

Dólar recua após Powell e Lagarde manterem expectativas sobre juros

Guia do Investidor

Powell sinaliza cortes de juros e dólar recua

Guia do Investidor

Dólar sobe em dia de incerteza nos EUA e China

Guia do Investidor

Dólar cai; mercado aguarda China, Powell e payroll

Guia do Investidor

Dólar cai frente a emergentes; Semana fecha no negativo

Guia do Investidor

Deixe seu comentário