Guia do Investidor
966151 12032012 dolar 0149
Notícias

Powell sinaliza cortes de juros e dólar recua

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar cai após indicação de Powell sobre cortes de juros nos EUA. Balança comercial brasileira registra superávit em fevereiro.

O dólar à vista diminuiu seguindo a tendência global após declarações de Jerome Powell, do Fed, sobre cortes de juros em 2024. No Brasil, o mercado acompanha o superávit da balança comercial em fevereiro, impulsionado pelo aumento do fluxo cambial positivo. O dólar fechou em baixa, refletindo esses movimentos.

Indicações de Powell sobre cortes de juros impulsionam queda do dólar enquanto balança comercial brasileira apresenta superávit em fevereiro

O dólar registrou uma queda significativa após as declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, indicando possíveis cortes de juros nos Estados Unidos ainda este ano. Powell afirmou que cortes de juros seriam “provavelmente” apropriados em 2024, condicionados ao desenvolvimento econômico esperado. Ele ressaltou que o Fed não necessariamente aguardaria a inflação atingir exatamente a meta de 2% antes de iniciar o ciclo de afrouxamento, mas exigiria evidências sólidas de uma desaceleração sustentável dos preços.

No mercado brasileiro, os investidores também observaram os números da balança comercial de fevereiro, que apresentou um superávit de US$ 5,447 bilhões, mais que o dobro em comparação ao mesmo mês do ano anterior. Essa forte performance foi impulsionada não apenas pelo aumento do fluxo cambial positivo nas últimas semanas, principalmente pelo lado comercial, mas também por uma melhoria perceptível na frente financeira, com investidores estrangeiros retomando suas posições na Bolsa de Valores de São Paulo.

Esses eventos colaboraram para a queda do dólar frente ao real. O dólar à vista fechou em baixa de 0,21%, cotado a R$ 4,9453, após oscilar entre R$ 4,9331 e R$ 4,9467 ao longo do dia. Enquanto isso, o dólar futuro para abril também registrava uma queda de 0,24%, atingindo R$ 4,9560.

Leia mais  Dólar atinge R$ 5,15 devido a emprego nos EUA, aumentando expectativas de alta de juros pelo Fed

No cenário internacional, o índice DXY, que mede o valor do dólar em relação a uma cesta de moedas estrangeiras, recuava 0,41%, enquanto o euro e a libra esterlina ganhavam terreno em relação ao dólar, refletindo o clima favorável aos ativos de risco nos mercados globais.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

A injeção de capital no NYCB gera preocupações no mercado financeiro e desacelera o ritmo de alta das bolsas de Nova York

A bolsa de Nova York fechou em terreno positivo durante a sessão desta quarta-feira, impulsionada pela fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que reforçou as perspectivas de um corte de juros no próximo mês. No entanto, o ritmo de alta diminuiu após a confirmação de uma injeção de capital no New York Community Bank (NYCB), que recebeu mais de US$ 1 bilhão, gerando preocupações sobre o setor imobiliário nos Estados Unidos.

Leia mais  Dólar e Ibovespa: os dois irmãos que não se bicam

O índice Dow Jones apresentou um ganho de 0,20%, encerrando o dia com 38.661,05 pontos, enquanto o S&P500 subiu 0,51%, alcançando os 5.104,76 pontos. O Nasdaq também registrou alta, avançando 0,58% e fechando em 16.031,54 pontos.

Essa notícia afetou diretamente o desempenho de bancos como o Morgan Stanley, que teve uma queda de 3,89% em suas ações. Por outro lado, as ações do NYCB fecharam em alta de 7,45%.

Os rendimentos dos Treasuries, por sua vez, tiveram movimentos mistos, com o juro do T-bond de 30 anos caindo para 4,242%, enquanto o da T-note de 2 anos subiu para 4,555%. O da T-note de 5 anos cedeu para 4,106% e o da T-note de 10 anos caiu para 4,134%.

Essa injeção de capital no NYCB gerou incertezas no mercado financeiro, levando a uma desaceleração do ritmo de alta nas bolsas de Nova York, mesmo com as indicações favoráveis de Powell sobre a política de juros do Federal Reserve.

Leia mais  Dólar cai com expectativa de corte de juros pelo Fed

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda e Eletrobras inicia com sinais trocados

Paola Rocha Schwartz

Dólar dispara frente ao Real com impacto de decisões da Petrobras

Guia do Investidor

Dólar recua após Powell e Lagarde manterem expectativas sobre juros

Guia do Investidor

Dólar sobe em dia de incerteza nos EUA e China

Guia do Investidor

Dólar cai; mercado aguarda China, Powell e payroll

Guia do Investidor

Dólar cai frente a emergentes; Semana fecha no negativo

Guia do Investidor

Deixe seu comentário