Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Dólar fecha em leve alta após recado de Powell e surpresas no exterior

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar fecha em leve alta após declarações de Powell e decisões surpreendentes do BoE e Copom, gerando incertezas no mercado.

O dólar encerrou o dia com uma leve alta em relação ao real, seguindo a tendência internacional causada pelas declarações de Jerome Powell e Michelle Bowman, do Federal Reserve. Powell reiterou que a maioria dos membros do Fomc espera um aumento de juros ainda este ano. Além disso, o Banco da Inglaterra (BoE) surpreendeu ao aumentar a taxa de juros em 50 pontos-base, em vez dos esperados 25.

Essa decisão trouxe incertezas sobre a situação econômica do Reino Unido. No cenário nacional, o mercado ficou decepcionado com o comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom), o que também impactou o câmbio. O dólar fechou praticamente estável, oscilando entre R$ 4,7514 e R$ 4,7877.

Leia mais  Dólar fecha semana em alta de 1,5%

Declarações de Powell, surpresa no BoE e decepção com Copom influenciam alta do dólar frente ao real

O dólar fechou em leve alta perante o real, acompanhando o movimento da moeda no exterior, onde investidores reagiram às declarações de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed), e Michelle Bowman, membro do conselho de governadores do Fed, sinalizando a retomada do aperto monetário nos Estados Unidos.

Em seu depoimento no Senado, Powell reiterou que a “grande maioria” do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) espera mais um aumento de juros ainda este ano, mencionando a possibilidade de “talvez duas” altas.

A quinta-feira foi marcada por uma nova rodada de aperto monetário na Europa, com destaque para o Banco da Inglaterra (BoE), que surpreendeu o mercado ao elevar a taxa de juros em 50 pontos-base, em vez dos esperados 25.

Essa decisão contrariou as expectativas e gerou incertezas sobre a situação econômica do Reino Unido, levando a libra a ganhar força pela manhã, porém, ela acabou revertendo o movimento diante da percepção de que o país pode entrar em uma recessão mais severa.

Leia mais  Dólar avança 2,9% na semana, apesar de correção e desaceleração econômica nos EUA

No cenário nacional, o mercado ficou decepcionado com o comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom), que manteve a taxa básica de juros (Selic) em 4,25% ao ano.

Essa decisão gerou alguma correção no câmbio pela manhã, mas o dólar encerrou o dia praticamente estável, registrando uma variação positiva de 0,09% em relação ao real, cotado a R$ 4,7723. Durante o dia, a moeda oscilou entre R$ 4,7514 e R$ 4,7877.

No mercado futuro, o dólar para julho apresentou um leve aumento de 0,23%, sendo cotado a R$ 4,7800 às 17h13. No cenário internacional, o índice DXY, que mede a variação do dólar em relação a uma cesta de moedas, subiu 0,33%, atingindo 102,412 pontos. Enquanto isso, o euro registrou uma queda de 0,26%, sendo negociado a US$ 1,0956, e a libra esterlina perdeu 0,19% de seu valor, sendo cotada a US$ 1,2744. Esses movimentos refletem as incertezas e volatilidades presentes nos mercados financeiros diante das notícias e eventos ocorridos ao longo do dia.

Leia mais  Dólar em ano eleitoral: economista faz previsão para a moeda americana

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda e Eletrobras inicia com sinais trocados

Paola Rocha Schwartz

Dólar dispara frente ao Real com impacto de decisões da Petrobras

Guia do Investidor

Dólar recua após Powell e Lagarde manterem expectativas sobre juros

Guia do Investidor

Powell sinaliza cortes de juros e dólar recua

Guia do Investidor

Dólar sobe em dia de incerteza nos EUA e China

Guia do Investidor

Dólar cai; mercado aguarda China, Powell e payroll

Guia do Investidor

Deixe seu comentário