Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

DREX: entenda a nova moeda brasileira e o que muda

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

No horizonte financeiro do Brasil, uma revolução está se formando, e seu nome é DREX. Segundo a professora do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Anhanguera, Ma. Valéria Vanessa Eduardo, a sigla que combina as letras “D” e “R” de Real Digital, o “E” de Eletrônico e o “X” de modernidade e conexão representa mais do que apenas uma moeda digital. É uma promessa de transformação profunda na maneira como conduzimos transações comerciais, compras e vendas de ativos.

“Diferente das criptomoedas, o DREX é uma moeda emitida pelo Banco Central, evoluindo a moeda física para uma forma eletrônica inovadora. Isso significa que nossa relação com os bancos não sofrerá mudanças drásticas. Continuaremos a ter contas correntes, usar o PIX e todas as nossas atividades financeiras habituais. A diferença reside na integração dos princípios das criptomoedas, que permitem a transformação de ativos em tokens verificáveis, redefinindo como compramos e vendemos”, explica a professora.

Leia mais  O que é a nova criptomoeda da China?

Valéria aponta que o real digital traz como premissa diminuir o risco de contraparte em transações comerciais do Brasil.

“Risco de contraparte é a possibilidade de uma das partes envolvidas em uma transação financeira não cumprir sua obrigação contratual, causando perda para o outro lado. Por exemplo, se você compra um veículo e efetua um PIX, mas o vendedor não efetua o registro em seu nome, você sofre um risco de contraparte. Assim, para garantir confiança, às transações de compra e venda, especialmente no mercado de ativos como imóveis, veículos e investimentos, serão simplificadas. Os intermediários como DETRAN, B3 e cartórios, que tradicionalmente garantem a legitimidade das transações, cederão espaço a tokens digitais. Esses tokens, representando os ativos reais, agirão como garantias em transações. Imagine poder vender seu veículo diretamente a alguém, transferindo o token digital que representa seu automóvel com confiança e simplicidade”, orienta.

A professora destaca que uma característica notável do DREX é sua integração com contratos inteligentes (Smart Contract).

“Esses documentos digitais executam automaticamente acordos predefinidos, eliminando intermediários e garantindo que as condições sejam cumpridas. Isso impulsiona a segurança jurídica e a eficiência nas transações comerciais”.

Os pontos positivos do DREX, segundo a professora, é que os riscos de contraparte irão desaparecer, a segurança das transações é aprimorada e a burocracia é reduzida a um mínimo. O DREX está previsto para ser lançado ao público até o final de 2024, e é a representação digital do real, trazendo uma nova era de eficiência e confiança para economia.

Leia mais  O novo marco legal do câmbio e a teoria de path dependence

Por fim, a professora elencou alguns pontos importantes sobre a nova moeda, confira:

– A relação das pessoas com os bancos não irá mudar.

– Não trará mudança nos pagamentos e sim nas transações de compra e venda.

– Não será permitido aos Bancos emprestarem a terceiros.

– Não terá rendimento automático.

– Haverá garantia de segurança jurídica, cibernética e privacidade nas operações.

– As operações com o DREX não serão gratuitas, pois estarão associadas à prestação de um serviço financeiro que irá gerar despesa e, de alguma forma, serão repassadas ao consumidor. Mesmo a operação não sendo gratuita, a automatização dos processos com o DREX irá trazer mais economia para o bolso do consumidor.


Leia mais  Drex: entenda como será o Real Digital e como impactará a economia brasileira
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Drex: o que dá pra fazer com o “real digital”?

Guia do Investidor

Dólar inicia o dia em queda com expectativas de medidas econômicas

Miguel Gonçalves

A desvalorização do peso deixa o brasileiro “mais rico” na Argentina?

Guia do Investidor

DREX: Descubra como os “bancões” estão se preparando para a chegada do Real Digital

Leonardo Bruno

Banco BS2 realiza primeira transação de Drex

Guia do Investidor

Drex e sua importância para o mercado de cripto no Brasil

Autor Convidado

Deixe seu comentário