Guia do Investidor
banco inter gdi
Recomendações

Mau Presságio? BTG rebaixa Banco Inter de Compra para Neutro

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O BTG Pactual, em uma mudança significativa de postura, rebaixou sua recomendação para as ações do Banco Inter de “compra” para “neutro”. Essa revisão ocorre após um período de forte alta nas ações do banco, que registrou um aumento de 26% apenas neste mês e impressionantes 155% desde o início do ano. Essa escalada rápida levou o BTG a descrever o movimento como “too fast, too furious” (demasiado rápido, demasiado furioso).

O analista Eduardo Rosman, conhecido por sua visão otimista em relação ao Banco Inter, apontou que a ação agora é negociada a 1,55 vezes o valor patrimonial (book value) e 11,9 vezes o lucro estimado para o próximo ano. Um ponto crítico observado por Rosman é o Retorno sobre o Patrimônio (ROE) do Banco Inter, que se situa em 5,6% no final do terceiro trimestre.

Apesar da revisão atual, Rosman continua confiante no crescimento do ROE do Banco Inter ao longo dos próximos trimestres, prevendo que ele se aproxime de 15% no final do próximo ano e potencialmente ultrapasse esse patamar a partir de 2025. O preço-alvo para a ação foi mantido em R$ 31, o que representa um potencial de valorização de 10% em relação ao preço atual de R$ 28,22.

Interessante notar que o BTG iniciou sua recomendação de compra para o Banco Inter no final de março, quando as ações eram negociadas a R$ 7,40 e 0,42 vezes o valor patrimonial. A recomendação foi reiterada em diversos relatórios desde então.

Rosman esclarece que, apesar do valuation atual não parecer tão caro ao se considerar as estimativas de crescimento, a redução do custo de equity e a perspectiva de um ROE ultrapassando 15% no final de 2024 e se aproximando de 20% nos anos seguintes, ainda há cautela devido ao ROE atual de apenas 5,6%. Ele ressalta que o valuation atual já parece precificar a expectativa de um ROE de 15% para o próximo ano “como algo dado”.

O analista também enfatiza que, embora existam grandes chances de essa projeção se concretizar, o “risco de execução existe”. Para alcançar esses objetivos, o Banco Inter precisa acelerar sua carteira de crédito, continuar aumentando sua margem de juros líquida (NIM), diluir as despesas operacionais e, crucialmente, reduzir as provisões para devedores duvidosos.

Este cenário apresenta um desafio tanto para o Banco Inter quanto para os investidores. Por um lado, o banco demonstra potencial de crescimento significativo e melhorias na rentabilidade. Por outro, o mercado reflete uma abordagem mais cautelosa, ponderando o desempenho atual contra as projeções futuras. Investidores e analistas deverão acompanhar de perto os próximos movimentos do Banco Inter, avaliando cuidadosamente o equilíbrio entre riscos e oportunidades.

Ações operam em queda

Em uma reviravolta no mercado financeiro, as ações e os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) do Banco Inter (INTR; INBR32) apresentaram uma queda superior a 6% no fechamento do pregão desta quarta-feira (22). Essa reação do mercado vem na esteira da decisão do BTG Pactual de rebaixar sua recomendação para as ações do banco de “compra” para “neutra”.

A revisão da recomendação pelo BTG Pactual é embasada na análise de que o recente rali dos papéis do Banco Inter pode ter avançado mais rapidamente do que a recuperação dos resultados operacionais da instituição. Essa discrepância, conforme destacado pelo banco de investimentos, exerce pressão sobre os múltiplos de valorização do papel.

No relatório, o BTG Pactual expressa a visão de que os movimentos das ações do Banco Inter foram “muito fortes e, principalmente, velozes e furiosos”. Apesar de reconhecer as perspectivas de melhoria para os próximos trimestres, o banco destaca que o atual Retorno sobre Patrimônio (ROE) do Banco Inter, situado em 5.16%, é considerado baixo. O ROE é uma métrica crucial para avaliar a rentabilidade de instituições financeiras.

Para melhorar seu desempenho, o BTG sugere que o Banco Inter deve focar em quatro áreas principais: i) aceleração da carteira de crédito; ii) aumento das margens; iii) diluição das despesas operacionais; iv) redução do custo de risco. Estes elementos são fundamentais para aprimorar a rentabilidade e o posicionamento competitivo do banco.

Apesar das ressalvas, o BTG Pactual manteve o preço-alvo para o BDR do Banco Inter negociado na B3 em R$ 31, indicando um potencial de valorização de 9% em relação ao preço atual.

O Banco Inter, por sua parte, apresentou um cenário mais otimista em seu balanço recente. No terceiro trimestre de 2023, o banco reportou um lucro líquido de R$ 104 milhões, revertendo o prejuízo líquido de R$ 29,5 milhões do mesmo período em 2022. Além disso, houve um crescimento expressivo na receita bruta total, que atingiu R$ 2,1 bilhões, comparado a R$ 1,5 bilhão no ano anterior.

No mesmo período, a base de clientes do Banco Inter cresceu para 29,4 milhões, ganhando um milhão de novos clientes. O banco também registrou um aumento significativo no número de clientes de serviços globais, chegando a 2 milhões, e destacou a eficiência de suas estratégias de cross-selling.

Em relação à saúde financeira, o Non-Performing Loan (NPL) do Banco Inter manteve-se estável em 4,7%, refletindo um mix equilibrado na carteira de crédito e uma melhoria no perfil de risco dos novos clientes de cartão de crédito. O total da carteira de crédito alcançou R$ 28,4 bilhões. Além disso, o banco enfatizou seu baixo custo de funding como uma vantagem competitiva no mercado.

Este conjunto de fatores ilustra um cenário complexo para o Banco Inter. Por um lado, o banco demonstra sinais claros de recuperação e crescimento. Por outro, o mercado reage com cautela às avaliações e recomendações de analistas, reforçando a necessidade de uma análise equilibrada do desempenho financeiro e das perspectivas futuras da instituição. Acionistas e investidores devem acompanhar de perto esses desenvolvimentos para tomar decisões informadas.

Você quer começar a investir na bolsa de valores?

Você possui o desejo de começar sua carreira como investidor? Apesar de parecer complicado, se tornar um “frequentador” da bolsa de valores é mais fácil do que você imagina!

Aqui no Guia do Investidor, nós oferecemos uma ampla seleção de análises, recomendações e indicações de preços-alvo para as principais ações e ativos da bolsa de valores brasileira para você começar a entender todos os caminhos que separam você dos grandes lucros! Nossa equipe de especialistas está sempre atenta ao mercado, identificando as melhores opções e recomendações para você ampliar e diversificar sua carteira.

Se você não sabe por onde começar, pode seguir as 5 dicas que selecionamos para você dar seus primeiros passos na bolsa de valores:

Entendemos que cada investidor tem suas próprias metas e tolerância ao risco. Por isso, oferecemos uma variedade de recomendações que se enquadram em diferentes perfis e objetivos. Seja você um investidor conservador, moderado ou agressivo, encontrará em nosso site análises detalhadas e recomendações fundamentadas para auxiliar em suas decisões de investimento.

Além disso, sabemos que o mercado financeiro é dinâmico e as oportunidades podem surgir a qualquer momento. Por isso, atualizamos constantemente nossas recomendações para que você possa aproveitar as melhores oportunidades assim que elas aparecem.

Para conferir as últimas análises e recomendações do mercado, basta clicar aqui.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Clientes Inter agora podem trocar pontos do Inter Loop por dólares

Fernando Américo

Banco Inter dá salto de 53% e lucro sobe para R$ 160 mi no 4T23

Leonardo Bruno

Clientes Inter agora podem trocar pontos do Inter Loop por dólares

Guia do Investidor

Carteira de Ações do Inter valoriza 80,64% no ano e vence Ranking Valor

Guia do Investidor

NOVIDADE: Banco Inter lança pix com cartão de crédito

Lara Donnola

O follow-on “mais inútil” de todos? Entenda a queda do Inter

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário