Guia do Investidor
Imagem: GDI
Notícias

Papéis do Tesouro Direto em queda, entenda

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Investidores reagem a sinais negativos nos mercados financeiros, levando a uma queda nos papéis do Tesouro Direto.
  • Rendimentos dos títulos prefixados e atrelados à inflação caem, mantendo-se em torno de 11%.
  • Possibilidade de elevação da taxa Selic no horizonte, conforme indicado pelo último Boletim Focus do Banco Central.
  • Títulos americanos também operam em baixa, à espera da divulgação da ata do Fomc.
  • Reação nos mercados reflete preocupações dos investidores com perspectivas econômicas domésticas e internacionais.

Investidores reagiram aos sinais negativos nos mercados financeiros, tanto no Brasil quanto no exterior, levando a uma queda nos papéis do Tesouro Direto nesta terça-feira (21).

Por volta das 17h, os rendimentos dos títulos prefixados 2027, 2031 e com juros semestrais 2035 ficaram em 11,01%, 11,76% e 11,65%, respectivamente. Esses números chamaram a atenção dos investidores, já que os papéis mantiveram-se na faixa de 11%, sugerindo uma possível elevação da taxa Selic no horizonte, conforme indicado pelo último Boletim Focus do Banco Central.

Leia mais  Ibovespa e Dólar avançam com volatilidade pré-decisão do BC

Além disso, os títulos atrelados à inflação também registraram queda, com o Tesouro IPCA 2045 oferecendo um retorno real de 6,14% no mesmo horário.

Os investidores estavam atentos aos desenvolvimentos globais, especialmente aos Estados Unidos, com os títulos americanos também operando em baixa, à espera da divulgação da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc). Este documento é visto como uma fonte de insights sobre a política monetária futura nos EUA.

Em suma, a reação nos mercados de títulos do Tesouro Direto reflete as preocupações dos investidores com as perspectivas econômicas, tanto domésticas quanto internacionais, e sugere uma postura cautelosa em meio a sinais de turbulência nos mercados financeiros.

Desempenho do Tesouro Direto

TítuloRentabilidade AnualInvestimento MínimoPreço UnitárioVencimento
TESOURO PREFIXADO 202711,01%R$ 30,46R$ 761,6101/01/2027
TESOURO PREFIXADO 203111,76%R$ 33,69R$ 481,3901/01/2031
TESOURO PREFIXADO com Juros Semestrais 203511,65%R$ 37,82R$ 945,6501/01/2035
TESOURO SELIC 2027SELIC + 0,0894%R$ 148,25R$ 14.825,5701/03/2027
TESOURO SELIC 2029SELIC + 0,1479%R$ 147,58R$ 14.758,2701/03/2029
TESOURO IPCA+ 2029IPCA + 6,03%R$ 31,98R$ 3.198,8815/05/2029
TESOURO IPCA+ 2035IPCA + 6,07%R$ 44,92R$ 2.246,1815/05/2035
TESOURO IPCA+ 2045IPCA + 6,14%R$ 36,99R$ 1.233,0015/05/2045
TESOURO IPCA+ com Juros Semestrais 2035IPCA + 6,06%R$ 42,69R$ 4.269,9615/05/2035
TESOURO IPCA+ com Juros Semestrais 2040IPCA + 6,04%R$ 43,36R$ 4.336,8815/08/2040
TESOURO IPCA+ com Juros Semestrais 2055IPCA + 6,10%R$ 42,40R$ 4.240,5215/05/2055
Fonte: Valor
Leia mais  Inter Invest aumenta captação de investidores vindos do sistema do Tesouro Direto

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa fecha em alta e dólar recua

Rodrigo Mahbub Santana

COPOM mantém taxa Selic em 10,50% ao ano por unanimidade

Rodrigo Mahbub Santana

Mercado se preocupa com Mantega ou Mercadante no comando do BC

Márcia Alves

Ibovespa e Dólar avançam com volatilidade pré-decisão do BC

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa sobe e dólar reage às expectativas do Fed

Rodrigo Mahbub Santana

Selic deve parar de cair e encerrar ano a 10,5%, prevê mercado

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário