Guia do Investidor
1 dolar 33725747
Notícias

Dólar fecha em leve alta, mantendo-se acima de R$ 5

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar fecha estável, porém acima de R$ 5, impulsionado por expectativas de cortes de juros nos EUA em junho e dados econômicos mistos.

O mercado cambial encerrou com o dólar estável, mas mantendo-se acima dos R$ 5, refletindo uma sessão volátil influenciada pela formação da ptax de fevereiro e rolagem de contratos no mercado futuro. Sem grandes novidades no cenário doméstico, os investidores voltaram sua atenção para os dados econômicos dos Estados Unidos, especialmente o PCE, que não indicou um aumento significativo na inflação. Isso fortaleceu as expectativas de que o Federal Reserve iniciará os cortes de juros apenas em junho.

Apesar disso, a renda pessoal nos EUA registrou um crescimento surpreendente de 1%, enquanto os gastos com consumo também superaram as expectativas.

Expectativas de cortes de juros nos EUA em junho influenciam o comportamento do dólar, que fecha em leve alta acima de R$ 5

O mercado cambial encerrou uma sessão volátil nesta quinta-feira, com o dólar à vista mantendo-se em leve alta, mas persistindo acima do patamar de R$ 5.

A movimentação foi influenciada pela disputa pela formação da ptax de fevereiro e pela rolagem de contratos no mercado futuro. Sem grandes novidades no cenário interno, os investidores direcionaram sua atenção para os Estados Unidos, onde os dados econômicos desempenharam um papel crucial.

Leia mais  Melhor Cartão para Viagens Internacionais 2024: Lista Atualizada

Em particular, o índice PCE, que é um indicador-chave da inflação, não apresentou um repique significativo, o que reforçou as expectativas de que o Federal Reserve adiará os cortes de juros até junho. Contudo, houve surpresas nos números da renda pessoal, que cresceu 1%, e nos gastos com consumo, que avançaram 0,2%, ambos superando as projeções do mercado.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

No fechamento, o dólar à vista registrou uma alta de 0,05%, cotado a R$ 4,9725, após oscilações entre R$ 4,9587 e R$ 4,9980 ao longo do dia. No acumulado do mês, a moeda norte-americana apresentou um ganho de 0,71%, enquanto no ano acumula uma alta de 2,45%.

Leia mais  Dólar cai para R$ 5,13 com expectativa em torno do novo arcabouço fiscal proposto pelo governo

O dólar futuro para abril também registrou um leve aumento, de 0,11%, alcançando R$ 4,9870 às 17h07. No cenário internacional, o índice DXY, que mede o desempenho do dólar em relação a uma cesta de moedas estrangeiras, apresentou uma alta de 0,16%, atingindo 104,141 pontos. Enquanto isso, o euro e a libra esterlina registraram quedas em relação ao dólar, evidenciando a cautela dos investidores em meio à volatilidade do mercado cambial.

Bolsas de NY registram alta com dados do PCE em conformidade, impulsionando expectativas de cortes nas taxas de juros dos EUA

Os mercados de ações em Nova York tiveram um dia de ganhos nesta sessão, com os principais índices fechando em território positivo.

O destaque foi para o Nasdaq, que alcançou um novo recorde de fechamento, impulsionado pelo dado do índice de gastos com consumo pessoal (PCE), considerado um dos mais importantes indicadores econômicos dos Estados Unidos. O PCE veio em linha com as expectativas do mercado, o que renovou o otimismo dos investidores, levando-os de volta ao mercado.

O desempenho sólido do PCE reforçou as apostas de que o Federal Reserve, o banco central dos EUA, poderá começar a reduzir as taxas de juros a partir de junho, em um esforço para conter as pressões inflacionárias.

Leia mais  Saiba quais são os investimentos que garantem uma renda mensal em dólar

Os investidores interpretaram os dados como um sinal de que a economia está se mantendo forte, mas sem uma aceleração significativa da inflação, o que sugere que o Fed pode adotar uma abordagem gradual em relação aos cortes nas taxas de juros.

No fechamento, o índice Dow Jones Industrial Average subiu 0,12%, para 38.996,39 pontos, enquanto o S&P500 ganhou 0,52%, fechando aos 5.096,27 pontos. O Nasdaq Composite avançou 0,90%, alcançando os 16.091,92 pontos, estabelecendo um novo recorde histórico de fechamento. Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA recuaram em resposta ao otimismo do mercado de ações, com os investidores realocando parte de seus investimentos em busca de retornos mais atrativos.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda e Eletrobras inicia com sinais trocados

Paola Rocha Schwartz

Dólar dispara frente ao Real com impacto de decisões da Petrobras

Guia do Investidor

Dólar recua após Powell e Lagarde manterem expectativas sobre juros

Guia do Investidor

Powell sinaliza cortes de juros e dólar recua

Guia do Investidor

Dólar sobe em dia de incerteza nos EUA e China

Guia do Investidor

Dólar cai; mercado aguarda China, Powell e payroll

Guia do Investidor

Deixe seu comentário