Guia do Investidor
dolar 16
Notícias

Dólar fecha levemente em baixa com poucas novidades do Fed

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar fecha com leve queda em dia de poucas novidades do Fed e noticiário local esvaziado, impulsionando apetite por risco.

O dólar encerrou em leve baixa após uma sessão com movimentos cautelosos. Apesar de uma breve tentativa de alta pela manhã, o dólar à vista acabou cedendo à pressão do fortalecimento de outras moedas em relação ao dólar americano no exterior. A expectativa em relação ao Fed permaneceu estável, com investidores projetando o início do afrouxamento monetário apenas em junho. Com o noticiário local esvaziado devido ao Carnaval em Brasília, o mercado focou nas projeções de inflação, especialmente para 2025, influenciando as negociações.

Dólar fecha com leve baixa em sessão influenciada por movimentos externos e noticiário local esvaziado

O mercado cambial encerrou o dia com o dólar registrando uma leve queda, reflexo de uma sessão marcada por cautela e ausência de novidades significativas sobre a política monetária do Federal Reserve (Fed). Embora o dólar à vista tenha mostrado uma breve tentativa de alta durante a manhã, o fortalecimento de outras moedas em relação ao dólar americano no cenário internacional acabou exercendo pressão sobre o câmbio local, resultando em um fechamento em baixa.

Leia mais  Dólar sobe com dados fortes nos EUA

A divulgação de dados econômicos mistos nos Estados Unidos não foi suficiente para alterar a percepção dos investidores de que o Fed provavelmente começará seu afrouxamento monetário apenas em junho. Em meio a esse cenário, os investidores mostraram-se mais dispostos a assumir riscos, reduzindo suas posições defensivas no mercado cambial.

Enquanto isso, no âmbito local, com Brasília ainda em clima de Carnaval, o noticiário foi escasso. O destaque do dia recaiu sobre as projeções de inflação, especialmente para o ano de 2025, conforme indicado pelo boletim Focus. Essas projeções assumem uma relevância particular, pois influenciam diretamente as decisões de política monetária do Banco Central (BC).

O dólar à vista fechou o dia com uma queda de 0,07%, sendo cotado a R$ 4,9686. Durante o pregão, a moeda oscilou entre R$ 4,9580 e R$ 4,9831. Enquanto isso, no mercado futuro, o dólar para março operava estável, cotado a R$ 4,9755. No cenário internacional, o índice DXY, que mede o valor do dólar em relação a uma cesta de moedas, registrava uma queda de 0,40%, enquanto o euro e a libra apresentavam valorização frente ao dólar americano.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Índices de Nova York avançam impulsionados por S&P500, que atinge novo marco; ações de bancos se destacam na sessão

As bolsas de valores em Nova York tiveram uma sessão dinâmica nesta quinta-feira, começando sem uma direção clara, mas acabando em território positivo. O destaque ficou por conta do S&P500, que renovou seu recorde de fechamento, atingindo 5.029,73 pontos, o que representa um aumento de 0,58%. O Dow Jones também teve um desempenho notável, com um ganho de 0,91%, chegando a 38.773,12 pontos, enquanto o Nasdaq avançou 0,30%, alcançando 15.906,17 pontos.

Leia mais  Dólar recua frente a euro e libra com falas do Fed e expectativa por Copom e BoE

A mudança para o terreno positivo ocorreu à tarde, quando o Nasdaq reverteu suas perdas iniciais e liderou o movimento ascendente, seguido pelo S&P500. Este último índice foi particularmente impulsionado pelas ações do setor bancário, com destaque para o desempenho das ações do Wells Fargo, que subiram 7,23%. A alta ocorreu após reguladores americanos suspenderem as restrições impostas à instituição desde 2016, relacionadas a um escândalo de abertura de contas falsas.

Além disso, os retornos dos Treasuries recuaram ao longo do dia, com o juro do T-bond de 30 anos caindo para 4,413%, entre outros recuos nos retornos de títulos do governo. Essa dinâmica reflete a reação dos investidores aos dados econômicos mistos divulgados nos EUA, que não alteraram as expectativas em relação à redução dos juros pelo Federal Reserve, prevista para iniciar em junho.


Leia mais  Dólar fecha estável em dia de agenda esvaziada
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda e Eletrobras inicia com sinais trocados

Paola Rocha Schwartz

Dólar dispara frente ao Real com impacto de decisões da Petrobras

Guia do Investidor

Dólar recua após Powell e Lagarde manterem expectativas sobre juros

Guia do Investidor

Powell sinaliza cortes de juros e dólar recua

Guia do Investidor

Dólar sobe em dia de incerteza nos EUA e China

Guia do Investidor

Dólar cai; mercado aguarda China, Powell e payroll

Guia do Investidor

Deixe seu comentário