Guia do Investidor
2020 09 25t121331z 1 lynxnpeg8o13a rtroptp 4 dolar abre
Notícias

Dólar sobe frente ao real e afunda em relação ao iene

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Dólar registra leve alta contra o real, mas enfrenta queda significativa em relação ao iene, devido às expectativas de fim do juro negativo no Japão.

Nesta quinta-feira, o mercado cambial viu o dólar se valorizar em relação ao real, enquanto despencava em relação ao iene japonês. Essa reviravolta nas taxas de câmbio foi influenciada por uma série de fatores.

No Japão, o presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, indicou que a política monetária do país poderia se tornar mais desafiadora no futuro, sugerindo o possível fim dos juros negativos. Esse anúncio impulsionou o iene japonês, que teve uma valorização expressiva em relação ao dólar americano.

Enquanto isso, nos Estados Unidos, o mercado aguarda ansiosamente o relatório de empregos (payroll) para avaliar os próximos passos do Federal Reserve. Além disso, no cenário doméstico brasileiro, os impasses políticos em Brasília em relação à pauta econômica, incluindo a reforma tributária, causaram preocupação nos investidores.

Expectativa de mudança na política monetária do Japão impulsiona o iene e afeta o dólar

O mercado cambial experimentou uma jornada de altos e baixos nesta quinta-feira, com o dólar americano registrando uma leve alta em relação ao real brasileiro, enquanto afundava frente ao iene japonês. Essa dinâmica foi impulsionada por eventos tanto no cenário internacional quanto no cenário doméstico.

No Japão, o presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, surpreendeu os mercados ao sugerir que a política monetária do país poderia se tornar mais desafiadora no futuro próximo. Ele indicou que a reversão dos juros negativos poderia estar no horizonte, o que levou a uma valorização significativa do iene japonês em relação ao dólar. Essa mudança na perspectiva da política monetária japonesa teve um impacto imediato nas taxas de câmbio globais.

Enquanto isso, nos Estados Unidos, os investidores aguardam com expectativa o relatório de empregos (payroll) que será divulgado em breve. Esse relatório será fundamental para a avaliação dos próximos passos do Federal Reserve em relação às taxas de juros e à política monetária.

No Brasil, a situação política e econômica também teve um impacto sobre o mercado cambial. Os impasses políticos em Brasília, incluindo a série de adiamentos de votações importantes no Congresso, como a MP das subvenções e a tributação de apostas esportivas, geraram incerteza entre os investidores. Isso porque muitos desses projetos são cruciais para viabilizar um déficit fiscal zero em 2024, incluindo a complexa reforma tributária.

Como resultado desses eventos, o dólar à vista fechou o dia com uma leve alta de 0,13%, sendo cotado a R$ 4,9090. Enquanto isso, em relação ao iene japonês, o dólar experimentou uma queda impressionante de 2,50%, atingindo a marca de 143,53 ienes. Esses movimentos cambiais refletem a volatilidade e a sensibilidade do mercado às mudanças nas políticas econômicas e monetárias globais.

Ibovespa a 126 mil pontos e Sabesp cai com aprovação da privatização

O Ibovespa apresentou uma recuperação notável, retomando a marca dos 126 mil pontos, após um dia de agenda esvaziada nos mercados financeiros. O índice encerrou o dia com um ganho de 0,31%, atingindo 126.009,57 pontos, com um volume financeiro totalizando R$ 20,6 bilhões.

O destaque do dia ficou por conta da Sabesp (SBSP3), cujas ações tiveram uma queda de 1,52%, fechando a R$ 67,94. Esse movimento foi uma resposta natural após a aprovação da privatização na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A sessão também viu a EGIE3 liderar as quedas, com uma baixa de 2,69% a R$ 43,37, após o Citibank rebaixar sua recomendação de neutra para venda. Além disso, HYPE3 caiu 2,40% (R$ 35,72) e CIEL3 teve uma baixa de 2,05% (R$ 4,31).

No lado positivo, destacaram-se os principais bancos, com BBAS3 avançando 1,62% a R$ 53,87, ITUB4 registrando um aumento de 0,99% a R$ 31,62, SANB11 com alta de 0,36% a R$ 39,71, e BBDC3 e BBDC4 com ganhos de 0,28% a R$ 14,36 e 0,25% a R$ 16,20, respectivamente.

Setores relacionados ao consumo, construção e educação também apresentaram desempenho sólido, com destaque para SOMA3, que avançou 5,68% a R$ 6,88, seguida por EZTC3, com +5,44% a R$ 18,61, e YDUQ3, que subiu 4,75% a R$ 21,19.

O mercado permanece atento aos dados do payroll a serem divulgados amanhã, que podem influenciar as futuras decisões do mercado financeiro.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Dólar: Semana encerra em alta por risco fiscal e postura cautelosa do Fed

Fernando Américo

Dólar avança após governo ceder em pagamento de emendas

Fernando Américo

Dólar fecha em alta após ata do Fed reforçar cautela sobre cortes

Guia do Investidor

Adeus Brasil: Gringos retiram R$ 15 bilhões da bolsa em 2024

Guia do Investidor

Dólar despenca pelo 4º dia após corte de juros na China

Guia do Investidor

Mercados aguardam decisões do PBoC e Ata do Fed

Guia do Investidor

Deixe seu comentário