Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Fim da parceria? Itaúsa rescinde acordo de acionistas da XP

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A Itaúsa (ITSA4) anunciou hoje que rescindiu, de comum acordo com os demais signatários, o acordo de acionistas da XP Inc. (XP). Em comunicado relevante, a empresa informou que, como resultado dessa medida, os membros indicados pela Itaúsa para o conselho de administração e para o comitê de auditoria da XP renunciarão a seus cargos “oportunamente”. Com isso, a Itaúsa deixará de registrar contabilmente o investimento na XP pelo método de equivalência patrimonial e passará a tratá-lo como um ativo financeiro mensurado a valor justo.

A mudança no tratamento contábil terá um impacto positivo no resultado do terceiro trimestre de 2023, estimado em aproximadamente R$ 860 milhões (valor líquido). Esse valor leva em consideração a cotação da ação da XP e a taxa de câmbio de fechamento em 07/07. A Itaúsa espera que essa nova abordagem na contabilização do investimento na XP contribua para fortalecer sua posição financeira e traga benefícios aos seus acionistas.

Além disso, a XP Inc. informou que o conselho de administração da empresa será reduzido de 11 para nove membros, visando melhorar a eficiência. Essa redução ocorre após a rescisão do acordo de acionistas entre a XP (XP Control LLC e General Atlantic), GA (Bermuda), Grupo Iupar (Itaúsa, São Carlos e São Marcos) e Itaú (Itaú Holding e ITB). O acordo originalmente estava previsto para vigorar até outubro de 2016. No entanto, a rescisão foi acordada entre os acionistas e visa fortalecer as práticas de governança corporativa da XP Inc. e a composição de seu conselho de administração.

Leia mais  Itaúsa apresenta resultado do 1T23 e aprova pagamento de JCP

Essas mudanças refletem o constante ajuste estratégico das empresas envolvidas para atender às suas necessidades e ao ambiente de mercado em constante evolução. A Itaúsa reafirma seu compromisso com uma gestão financeira responsável e busca continuamente otimizar seu portfólio de investimentos para melhorar a geração de valor para seus acionistas. A XP Inc., por sua vez, está focada em fortalecer sua governança corporativa e garantir uma estrutura de administração eficiente.

Ambas as empresas permanecem comprometidas com o crescimento sustentável e buscam oportunidades para se adaptar e prosperar em um cenário econômico desafiador. A rescisão do acordo de acionistas da XP representa uma nova etapa nesse caminho, e as empresas estão confiantes de que as medidas adotadas contribuirão para o fortalecimento de suas posições no mercado e para o benefício de seus acionistas e stakeholders.

Itaú Unibanco Holding aumenta participação no Banco Itaú Chile para 66,99%

O Itaú Unibanco Holding (ITUB4) anunciou hoje que, após a conclusão das ofertas públicas voluntárias, a empresa passará a deter 66,99% do capital social total do Banco Itaú Chile. As ofertas públicas voluntárias foram realizadas entre os dias 6 de junho e 5 de julho de 2023, e os acionistas que possuem American Depositary Receipts (ADRs) emitidos pelo Banco Itaú Chile aderiram a elas, representando cerca de 1,07% do capital social total do banco.

Leia mais  Player’s Bank, do Itaú, lança conta gratuita para jovens com menos de 18 anos

A liquidação das ofertas ocorrerá até o dia 13 de julho, e os acionistas aderentes terão direito a receber um montante total de 19.616.957.314,85 pesos chilenos na data da liquidação. O comunicado ao mercado divulgado pelo Itaú Unibanco Holding afirmou que o impacto nos índices de capital da empresa é considerado imaterial.

Com esse aumento na participação acionária, o Itaú Unibanco reforça sua posição no mercado financeiro chileno e fortalece ainda mais sua presença internacional. O Banco Itaú Chile é uma instituição financeira sólida e reconhecida no país, e essa transação consolida a estratégia de expansão do grupo Itaú na América Latina.

O Itaú Unibanco Holding é um dos maiores conglomerados financeiros do Brasil e possui uma presença significativa em diversos países da região. A aquisição de uma participação maior no Banco Itaú Chile reflete a confiança da empresa no potencial de crescimento do mercado chileno e sua vontade de ampliar suas operações na região.

Essa transação também demonstra a solidez financeira do Itaú Unibanco Holding, que tem condições de realizar investimentos estratégicos mesmo em um cenário econômico desafiador. A empresa continua comprometida em oferecer serviços financeiros de alta qualidade aos seus clientes e em buscar oportunidades de crescimento sustentável nos mercados em que atua.

Leia mais  Itaúsa (ITSA4) avança em governança corporativa e estratégia de alocação de capital

O Itaú Unibanco Holding tem uma trajetória de sucesso e está constantemente buscando formas de expandir sua atuação e fortalecer sua posição como líder do setor financeiro. A aquisição de uma participação maior no Banco Itaú Chile é mais um passo nessa direção, e a empresa continuará avaliando oportunidades de negócio que agreguem valor aos seus acionistas e clientes.

Com a conclusão das ofertas públicas voluntárias e o aumento da participação no Banco Itaú Chile, o Itaú Unibanco Holding reafirma seu compromisso em expandir seus negócios internacionalmente e em continuar oferecendo soluções financeiras inovadoras e de qualidade para seus clientes. O futuro do grupo Itaú é promissor, e a empresa segue firme em sua trajetória de crescimento e sucesso.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Itaúsa tem lucro líquido de R$ 3,46 bilhões no 4T23

Márcia Alves

Itaúsa homologa aumento de capital social e bonificação de ações

Miguel Gonçalves

Itaúsa volta para lista de boas pagadoras de dividendos com anuncio de distribuição

Leonardo Bruno

Itaúsa anuncia amortização antecipada de debêntures, reforçando estratégia de desalavancagem

Leonardo Bruno

Itaúsa (ITSA4) anuncia distribuição de Juros sobre o Capital Próprio de R$ 0,1165 por ação

Leonardo Bruno

Moody’s eleva rating de crédito da Itaúsa e de suas emissões de debêntures

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário