Guia do Investidor
Lula anunciara novos diretores do Banco Central confirma Haddad 1
Notícias

Governo Lula acumula déficit de R$ 252,9 bi em 12 meses

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • A Dívida Bruta atingiu 75,7% do PIB em março
  • O superávit primário ocorre quando as receitas superam as despesas, excluindo o pagamento de juros da dívida pública
  • Nos últimos doze meses, o setor público consolidado acumula um déficit de R$252,9 bilhões, correspondente a 2,29% do PIB

A dívida bruta, principal indicador de solvência do governo, atingiu 75,7% do PIB em março, totalizando R$ 8,3 trilhões. Isto é, um aumento de 0,2 pontos percentuais em relação ao mês anterior, conforme divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira. Este é o maior patamar desde abril de 2022, quando alcançou 76,33% do PIB.

As contas do governo federal, INSS, governos estaduais e municipais contribuem para a formação da dívida bruta. Em março de 2024, o setor público consolidado, composto por governo federal, estados, municípios e empresas estatais, registrou um superávit de R$ 1,2 bilhão. No mesmo mês de 2023, o déficit foi de R$ 14,2 bilhões.

Leia mais  Discussão de Lula e Haddad aborda dólar e produção industrial

No terceiro mês do ano, o governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) e as empresas estatais registraram saldos negativos de R$1,9 bilhão e de R$343 milhões, respectivamente. Por outro lado, os governos regionais apresentaram um superávit de R$3,4 bilhões.

O superávit primário ocorre quando as receitas superam as despesas, excluindo o pagamento de juros da dívida pública. Em contrapartida, o déficit primário ocorre quando as despesas superam as receitas.

Nos últimos doze meses, o setor público consolidado acumula um déficit de R$252,9 bilhões, correspondente a 2,29% do PIB.

FMI piora previsão fiscal do Brasil, vê alívio após governo Lula

Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou negativamente as projeções fiscais do Brasil. Agora, estima-se que o país terá déficits primários de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2024 e 0,3% em 2025. Anteriormente, esses números eram de -0,2% para ambos os anos, conforme a última análise em outubro.

Os dados do Monitor Fiscal do FMI, divulgados na quarta-feira (17/4), indicam que o Brasil só deverá zerar o déficit em 2026, no último ano do governo Lula. A partir de 2027, espera-se que o país alcance um superávit de 0,4% do PIB, mantendo-se positivo até 2029, último ano das projeções.

Leia mais  Advogado de Lula sofre agressões verbais e ameaças no aeroporto de Brasília

FMI prevê que a dívida pública bruta do Brasil aumentará de 84,7% do PIB em 2023 para 86,7% este ano. Chegando a 90,9% em 2026, último ano do governo Lula.

No entanto, essas projeções representam uma melhora em relação ao último Monitor Fiscal, divulgado em outubro. Naquela época, estimava-se que a dívida bruta aumentaria de 88,1% em 2023 para 90,3% já em 2024.

De acordo com o estudo do FMI, a situação da dívida brasileira é mais desafiadora do que a observada em outros países emergentes, com uma média em torno de 70,3% do PIB em 2024 (enquanto o Brasil está em 86,7%). A instituição ressaltou que a situação do débito do Brasil é superior apenas à de países como Egito e Ucrânia. Surpreendentemente, a Argentina, apesar da forte turbulência econômica, apresenta uma dívida menor, correspondendo a 86,2% do PIB neste ano.

Apesar de divulgadas nesta quarta-feira, as projeções do FMI foram feitas antes da mudança da meta fiscal para 2025, anunciada pelo governo federal. Agora, a estimativa é de déficit zero para o próximo ano, com a possibilidade de um saldo negativo de 0,25% do PIB. Anteriormente, a meta era um superávit de 0,5% do produto em 2025.

Leia mais  Ministros convencem Lula a evitar ataques diretos a Roberto Campos Neto


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

“Erro Petista”: Críticas a Lula por reativação da indústria naval

Paola Rocha Schwartz

Governo Lula estuda liberar “jogo do tigrinho”

Márcia Alves

Governo Lula propõe aumento dos tributos empresariais

Paola Rocha Schwartz

Lula alcança 54% de aprovação, o maior índice, revela Quaest

Paola Rocha Schwartz

Governo Lula renova contrato com Batistas sem serviço entregue

Paola Rocha Schwartz

Empresa dos Batista visitaram Ministério de Lula 17 vezes

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário