Guia do Investidor
Free Freepik@vectorjuice 4 1
Notícias

Serviços fecham 2021 com crescimento acima do nível pré-pandêmico

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Com o fim de 2021, chegou a hora de ficar por dentro dos resultados consolidados dos setores da economia. Por isso, os economistas do Banco Original — Marco Caruso (economista-chefe), Lisandra Barbero e Eduardo Vilarim — publicaram uma análise sobre o desempenho do setor de serviços.

Levemente acima das expectativas (0,7% m/m), o setor de serviços avançou 10,4% na comparação interanual de dezembro, o equivalente a um aumento de 1,4% ante novembro, em série já dessazonalizada.

Assim, o setor se coloca em um patamar 6,6% acima do nível pré-pandemia (quando comparado a fevereiro de 2020), consolidando 2021 com crescimento de 10,9% (ante -7,8% do ano passado).

Na margem, houve crescimento de quase todos os segmentos, à exceção de serviços de TI e comunicação, telecomunicações e serviços auxiliares dos transportes.

Com o desempenho dos serviços divulgados hoje, a equipe projeta um IBC-Br de 0,5% em dezembro, equivalente a 1% na comparação interanual de mesmo período. Esses números trazem um viés positivo sobre a nossa projeção de PIB do 4TR21 (0,3% t/t) e 4,5% para o fechamento de 2021.

Detalhes

Interessantemente, os serviços prestados às famílias não foram o destaque dessa divulgação, apesar de serem bastante positivos (0,9% m/m). Os serviços profissionais e administrativos (2,6% m/m) bem como os de transportes (1,8% m/m) foram mais expressivos.

Em relação a este último, o resultado positivo da produção industrial atrelado ao avanço de atividades de turismo já desenhava um cenário mais favorável à demanda por transportes de carga.

Já em relação a mobilidade, também vimos aumentos marginais de transporte de passageiros, tanto em voos internacionais da ANAC (superior à queda marginal dos domésticos), quanto em transportes públicos urbanos, o que é sustentado pelo aumento marginal apurado pela SPTrans.

Paralelamente, é interessante avaliar também o aumento de 3,5% no volume do índice de atividades turísticas (IATUR), na série livre de efeitos sazonais. O índice revela que o setor de turismo ainda se encontra em aproximadamente 10% abaixo do nível pré-pandemia (em comparação a janeiro de 2020), mas vem em constante avanço desde abril de 2021, após a queda observada entre janeiro e março do mesmo ano.

A única queda apresentada dentre as grandes aberturas foram os serviços de informação e comunicação, influenciados pela queda dos segmentos de TI e comunicação (TIC) e telecomunicações.

Em tese, o aumento das pressões inflacionárias de curto prazo e a queda da massa de renda real leva os consumidores a cortarem o “menos essencial” dentro do orçamento familiar, como os planos de telecomunicações por fio/ sem fio e TV por assinatura, priorizando os gastos básicos de alimentação e habitação.

Vale destacar que o grupo de comunicações foi um dos destaques negativos do IPCA em janeiro (em termos de mais inflação), levando ao entendimento de que a prestação desses serviços pode diminuir no começo deste ano.

Com o desempenho dos serviços divulgados hoje mais o desempenho positivo da indústria no final do ano passado, projetamos um IBC-Br de 0,5% em dezembro, equivalente a 1% na comparação interanual de mesmo período. Esses números trazem um viés positivo sobre a nossa projeção de PIB do 4TR21 (0,3% t/t) e 4,5% para o fechamento de 2021.

Para 2022, vemos um crescimento menos robusto do setor de serviços, embora os serviços prestados às famílias ainda estejam 11,24% abaixo do pré-pandemia (quando comparados a fevereiro de 2020).

Na visão dos economistas, a projeção de 0,5% para a atividade econômica em 2022 é sustentada por componentes mais autônomos, como os gastos governamentais, a indústria extrativa – que deve se beneficiar do nível de preços das commodities metálicas e energéticas a nível mundial – e a agropecuária, com recordes de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, (271 milhões de toneladas, conforme apontado pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado também hoje pelo IBGE).

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

DIs caem apesar de feriado nos EUA e IBC-Br acima do esperado

Guia do Investidor

PIB de 2024 deverá ser mais fraco, com serviços desacelerando

Guia do Investidor

Alta da inflação de serviços preocupa banco central

Guia do Investidor

Maior imposto do mundo: como fica o setor de serviços com a reforma tributária?

Autor Convidado

Setor de Serviços paulistano aponta faturamento recorde em agosto

Guia do Investidor

Recuperação de turismo e demanda por serviços levam franquias a crescer 17,2% no 1ºTRI, aponta pesquisa da ABF

Guia do Investidor

Deixe seu comentário