Guia do Investidor
Oi podera ser fatiada entre 3 operadoras
Notícias

Oi (OIBR3) aprova mais um grupamento de ações

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A Oi anunciou nova proposta de grupamento de suas ações ordinárias e preferenciais, com o objetivo de elevar o valor das ações para R$ 1. O plano envolve um grupamento na proporção de 10:1, reunindo dez ações de cada tipo em uma única ação.

“A proposta de grupamento tem por objetivo principal o enquadramento da cotação das ações de emissão da Companhia em valor igual ou superior a R$1,00 por unidade, nos termos do item 5.2.f do Regulamento para Listagem de Emissores e Admissão à Negociação de Valores Mobiliários (“Regulamento”) e itens 5.1.2 (vi) e 5.2 do Manual do Emissor (“Manual”) da B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”).” Indica Fato Relevante.

O Conselho de Administração aprovou a proposta e a apresentará à Assembleia Geral Extraordinária da empresa em 29 de abril. Se aprovado, o capital social da Oi diminuirá de 660 milhões para 66 milhões de ações, divididas em 64,4 milhões ordinárias e 1,5 milhão preferenciais.

“Caso aprovado o grupamento de ações pela AGE, o capital social da Companhia, de 660.303.745 ações, passará a ser dividido em 66.030.374 ações, sendo 64.453.102 ordinárias, nominativas e sem valor nominal de emissão e 1.577.272 preferenciais, nominativas e sem valor nominal de emissão.”

Em dezembro de 2022, a Oi realizou um grupamento de ações para obedecer às regras da B3, que requerem manutenção da cotação.

Leia mais  Petrobras pode se tornar uma das maiores pagadoras de dividendos

Em fevereiro, a Oi pediu à CVM a suspensão da obrigação de manter a cotação dos valores mobiliários; a CVM deu prazo até abril para uma proposta. Devido ao adiamento na aprovação do plano de recuperação, a ação ordinária da Oi (OIBR3) fechou em R$ 0,68, com queda de 1,44%. Em fevereiro, alcançou R$ 1, mas retrocedeu. A ação preferencial (OIBR4) caiu 5,12%, cotada a R$ 1,85.

Efetivação da operação

Após a eventual aprovação do grupamento, contudo, os acionistas poderão ajustar suas posições em lotes múltiplos de 10 ações na B3, garantindo sua permanência no quadro acionário da operadora. As ações da Companhia, portanto, serão negociadas grupadas a partir do primeiro pregão após o período para livre ajuste.

Após o grupamento, a empresa consolidará as frações de ações em números inteiros e as venderá em leilões na B3 até a liquidação total. Após a liquidação financeira, a empresa distribuirá os valores resultantes proporcionalmente aos acionistas.

É importante observar, contudo, que as ações que lastreiam os American Depositary Shares (ADSs) da empresa não serão grupadas, resultando em um ajuste na paridade entre ADSs e ações locais. Como resultado, cada ação ordinária da Oi representará 20 ADSs ON, e cada ação preferencial será equivalente a 100 ADSs PN.

Leia mais  Magazine Luiza: Ações caem bruscamente após grupamento

A empresa fornecerá informações adicionais sobre os prazos e condições para o ajuste das posições após o grupamento, bem como sobre os leilões das frações e distribuição dos recursos. A empresa continuará mantendo os acionistas e o mercado informados sobre o andamento dessas questões.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

PDG aprovou grupamento de ações na proporção de 10 para 1

Paola Rocha Schwartz

GameStop conclui oferta de ações, levantando US$ 933,4 milhões

Rodrigo Mahbub Santana

Magazine Luiza: Ações caem bruscamente após grupamento

Paola Rocha Schwartz

Americanas aprova grupamento de ações e capital de R$ 40,7 bi

Paola Rocha Schwartz

Oi (OIBR3) anuncia aprovação de grupamento de ações

Paola Rocha Schwartz

Recrusul: holding operacional anuncia grupamento de ações

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário